O maior avião já produzido pela Embraer está se aproximando da fase final de certificação. Ao todo o projeto do KC-390 é estimado em R$ 4,6 bilhões e tem uma parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB), ao todo a FAB encomendou 28 unidades, sendo que a primeira pode ser entregue em 2018.

Segundo o diretor do programa do KC-390, Paulo Gastão Silva, os dois protótipos já construídos estão em fase avançada para a certificação, às aeronaves já contam com mais de 800 horas de voos desde o inicio dos testes de voo em outubro de 2015 até meados de janeiro desse ano.

Ainda de acordo com a entrevista divulgada pelo DefesaNet, o diretor do programa KC-390 disse que a Embraer já obteve sucessos nos testes já feitos como os testes com as mangueiras para REVO, lançamento de carga e paraquedistas, além do carregamento de macas, até mesmo a capacidade da aeronave de voar a Mach 0,8 com teto operacional de 36.000 pés foi confirmada.

Segundo KC390 à direita da foto. Foto – Embraer

Porém ainda faltam mais testes a serem feitos nas aeronaves, dentre eles testes como: Configurações aerodinâmicas, Certificação do combustível, Alguns itens na parte hidráulica e nos freios, além de testes de pouso com ventos cruzados e testes de acoplagem e desacoplamento do sistema de reabastecimento em voo (REVO).

Um fato que contribuiu ainda mais para a confiança dos clientes foi o voo que um dos KC-390 fez até a Feira Aeronáutica de Farnborough no Reino Unido, o avião da Embraer foi e voltou sem nenhum problema grave, apesar das poucas horas de voo naquela ocasião.

As missões a serem empregadas pelo KC-390 são múltiplas, dentre elas: transporte aéreo logístico, reabastecimento em voo, busca e salvamento bem como combates a incêndios. O KC-390 também é capaz de abastecer no ar qualquer aeronave da FAB, entre aviões e helicópteros, inclusive outros aviões KC-390, como afirma o Tenente-Coronel e Engenheiro Aeronáutico Marcelo Hiroshi Kono, Gerente adjunto do Projeto KC-390.

O KC-390 poderá receber no final deste ano uma declaração da capacidade operacional inicial da aeronave, ao longo de 2018 a equipe da Embraer trabalhará para conseguir a certificação da capacidade operacional final da aeronave, esta última envolve testes mais “pesados” que serão realizados ao longo de 2018.

 

Via – DefesaNet

This post is available in: pt-brPortuguês