Mesmo após a apresentação do A380plus, a Emirates Airline ainda não está satisfeita com os rumos do projeto que a Airbus está lançando. De acordo com o presidente da companhia falta uma “ideia clara sobre o futuro da aeronave”.

Esse comentário da Emirates é relevante pois a companhia é a maior operadora do A380 em todo o mundo, com 95 aeronaves desse tipo na frota da companhia. A Emirates só realizará outra encomenda caso a Airbus esclareça o futuro da aeronave, atualmente a companhia tem 47 encomendas para o A380.



Para Tim Clark o impacto das decisões da Airbus é enorme na frota da companhia, “terá um maior valor residual e implicações financeiras para nós”, disse ele. Clark ainda criticou as atualizações, dizendo que a Airbus precisa revisar o conceito do A380plus, “não vai fazer truque, eles precisam vender o A380 para outras companhias”, disse Tim Clark.

Nesta semana durante o Internacional Paris Air Show nenhum cliente atual do A380 demonstrou interesse em realizar encomendas para o novo A380plus, apesar das melhorias que deixam o custo até 13% menor por passageiro transportado.

Tim Clark também afirmou que não espera remover a atual escada dianteira da aeronave, para ele a escada representa uma parte da experiência do passageiro ao voar no A380. Mas Clark quer instalar as novas winglets, que oferecem 4% a menos de consumo de combustível, na sua frota atual de aeronaves A380.

O descontentamento com o A380plus se reflete em outro comentário do Presidente da Emirates, recentemente a companhia selecionou os motores Trent 900 da Rolls-Royce, pensando que isso facilitaria o desenvolvimento do A380 com novos motores e atualizações, chamado de A380neo, mas a Airbus apresentou apenas atualizações na aeronave.

Tim Clark finalizou relatando que a Emirates espera encomendar alguma nova aeronave nos próximos 5 a 10 anos, a companhia atualmente está entre o Airbus A350XWB e o Boeing 787, não foi detalhado a versão que a Emirates planeja encomendar. Em 2013 a companhia fez uma encomenda para aeronaves 70 aviões A350XWB, mas cancelou a mesma em 2014, encomendando 150 unidades do 777-9X em seguida.

 

Via – Aviation Week