A Boeing anunciou seus resultados para o primeiro trimestre de 2016, em que foi registrado uma queda de 4,3% nas entregas de 2016 quando comparado ao mesmo período de 2015. Em 2016 as entregas no setor comercial foram de 176 aeronaves, contra 184 no mesmo período em 2015.

Das 176 aeronaves, 68,75% do total foram do modelo 737NG, em que a Boeing diz ser capaz de produzir até 52 aeronaves por mês em sua linha de montagem localizada em Renton. Boeing também entregou 30 Boeing 787 e 23 777 (em todas as versões), no fundo da linha de montagem foram entregues um único 747-8i e outro 767-300ER, aeronaves que já estão em queda de produção na Boeing.

Esse resultado de 2016 vem em reação as recentes declarações da Boeing de diminuição da sua atual linha de montagem para o Boeing 777 e 747-8i. Em janeiro a Boeing anunciou um corte de 15% na taxa de produção do 777 já com início em 2017, segundo a empresa, essa nova taxa adequa a linha de montagem para receber a nova geração da aeronave, o 777X. Sobre o 747-8i, a Boeing anunciou um drástica redução para apenas 6 aeronaves por ano, em grande parte causada por uma desaceleração do mercado de carga, até então maior cliente da nova geração do 747.

Sobre os números de encomendas durante esse ano, a Boeing registrou mais 122 aeronaves para sua carteira de pedidos fixos, cerca de 90% desse valor representa somente aeronaves 737.

COMPARTILHAR