Foto – Força Aérea Brasileira/Divulgação

Setenta anos de história, sempre voltados para a formação dos pilotos militares da Força Aérea Brasileira, foram contados durante solenidade militar alusiva ao aniversário do Esquadrão Rumba (1º/5º GAV), na segunda-feira (24/04).

A cerimônia, realizada em Natal (RN), onde a unidade aérea está sediada, foi presidida pelo Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic.



Em discurso, o Comandante do Esquadrão Rumba, Tenente-Coronel Aviador Cláudio Teixeira Barros, além de agradecer a todos que contribuem para o sucesso do Rumba, ressaltou a capacidade do esquadrão de quebrar paradigmas e se manter sempre em evolução. “Desde o ano passado, o 1º/5º GAV realiza um importante trabalho de revisão de seus processos e, no septuagésimo aniversário de criação, a busca pela melhoria da instrução e dos processos de ensino nas aviações multimotoras é inspiração compartilhada por todos do nosso efetivo”, afirmou o Tenente-Coronel Cláudio.

A adaptabilidade é característica marcante do Esquadrão Rumba, na busca pelo cumprimento da missão da FAB. Após sua criação em 1947, a unidade mudou de sede e de missão por três vezes. Inicialmente criado em Natal (RN), o 1º/5º GAV tinha como missão formar pilotos de bombardeio utilizando as aeronaves North American B-25 “Mitchell” e depois as Douglas B-26 “Invader”. 

Foto – Força Aérea Brasileira/Divulgação

Em 1970, foi transferido para Recife (PE) e desativado em 1973, juntamente com o 5º Grupo de Aviação. Reativado em 1980 novamente em Natal, o Esquadrão passou a operar as aeronaves Embraer C-95 Bandeirante até 1991, quando passou a formar pilotos de ataque nas aeronaves T-27 Tucano.
Em 2001, o Alto-Comando da Aeronáutica sentiu necessidade de reestruturar a especialização de seus pilotos de combate e novamente o 1º/5º GAV se transformou. A unidade foi transferida para Fortaleza (CE) e voltou a operar o bimotor C-95 Bandeirante, para capacitar os pilotos da FAB nas aviações de patrulha, transporte e reconhecimento.
Via – Força Aérea Brasileira