Na noite deste domingo (16/10), a Esquadrilha da Fumaça publicou um esclarecimento oficial sobre a sua apresentação no Portões Abertos de São Paulo, que ocorreu no Campo de Marte e só contou com 4 aeronaves e um display reduzido de demonstração aérea.

Confira a reprodução na íntegra do esclarecimento no texto abaixo:

 

Nos últimos dias, nós temos recebido inúmeras reclamações sobre a demonstração curta com apenas quatro aeronaves no dia 09 de outubro no Portões Abertos de São Paulo e não o display completo, com as sete aeronaves. Somado a este fato, uma semana depois (16 de outubro), atendemos ao Portões Abertos da Museu Aeroespacial, no Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro, o que gerou a incompreensão do motivo do primeiro não ter sido atendido e o segundo, sim.

As queixas e demandas por uma explicação são compreensíveis e, por prezar sempre pelo respeito e transparência ao nosso público, esclarecemos os seguintes pontos:

1) Tem sido amplamente divulgado pelas diversas mídias e, portanto, é de conhecimento público, que diversos setores do Estado sofreram cortes de orçamento nos últimos anos e não foi diferente para o Ministério da Defesa, que repassa a verba para as três Forças subordinadas a ele. Sendo assim, o Comando da Aeronáutica, por meio do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, trabalha da melhor maneira possível para atender às solicitações oriundas de todos as regiões do país. Infelizmente, em função do cenário exposto de restrição orçamentária, a grande maioria tem sido NEGADA até que a situação econômica seja normalizada. A Força Aérea Brasileira trabalha para utilizar com a melhor eficácia os recursos recebidos, priorizando as atividades de Segurança e Defesa para garantir o cumprimento da sua missão de preservar a soberania do espaço aéreo brasileiro.

2) As demonstrações da Esquadrilha da Fumaça que partem do Campo de Marte, na cidade de São Paulo, possuem a peculiaridade de ocorrerem muito próximas aos aeroportos de Guarulhos e de Congonhas, que têm as suas atividades aéreas interrompidas durante as demonstrações. Cabe ressaltar que uma demonstração completa pararia por quase uma hora todo tráfego aéreo da cidade, que possui, também, uma das maiores frotas de helicópteros particulares do mundo. Ainda que sejam exibidas ao público somente as manobras no local do evento, a arena necessária (espaço aéreo da demonstração) é grande para permitir que as sete aeronaves se posicionem e se preparem para as manobras seguintes.

3) A Força Aérea Brasileira e a Esquadrilha da Fumaça estão atentas às manifestações do público e trabalha para adequar da melhor maneira possível as demandas à realidade acima apresentada. Portanto, leva em consideração o que é falado pelo público em seus canais de comunicação, como sites, telefones, emails e mídias sociais. É motivo de gratidão, pois compreende-se que a insatisfação é oriunda do carinho que o público tem pela Esquadrilha da Fumaça, aliado ao sentimento de se sentir representado pela Força Aérea Brasileira e querer assistir à suas demonstrações aéreas.

4) Mais do que ninguém, a Esquadrilha da Fumaça trabalha e torce pela rápida normalização para que todas as regiões do país sejam atendidas com suas demonstrações, confirmando o caráter de temporalidade da situação apresentada. Reitera, ainda, que a realização de uma demonstração completa apenas uma semana após a participação em São Paulo deve ser encarada como uma evolução rumo a essa normalização.

A todos, o mais vibrante FUMAÇA…JÁ!
Seção de Comunicação Social
Esquadrilha da Fumaça

 

Veja mais em:

COMPARTILHAR