Os Estados Unidos estão treinando uma parte dos seus pilotos para conseguirem contornar uma situação de emergência em voo, especificamente um sequestro.

Além de aulas sobre defesa pessoal, úteis para imobilizar um sequestrador ou terrorista, ainda há uma boa parte dos pilotos que fazem, ou já fizeram, treinamento de tiro para aprender a reagir se caso acontecer uma situação de sequestro de aeronave com arma.



De acordo com uma publicação da BBC, os treinamentos estão sendo realizados em Artesia, no Novo México, com ajuda de oficiais do Exército. São 56 horas de treinamento, divididas em cinco dias, e 48 pessoas participam simultaneamente dessas aulas.

Foto – Getty Images

Depois do trágico 11 de setembro de 2001, o Congresso dos EUA aprovou uma lei que autorizava o transporte de armas dentro dos aviões por pilotos. Porém antes de portar uma arma dentro do avião, uma extensa análise psicológica e esse treinamento de tiro são realizados para certificar que nenhuma tragédia ocorrerá por causa do piloto.

De acordo com um piloto anônimo, entrevistado pela BBC, cerca de 1 a cada 10 pilotos receberam esse treinamento, e geralmente transportam uma arma consigo na mala de mão. No total há 125 mil pilotos que trabalham em companhias aéreas nos Estados Unidos.

Foto – Getty Images

O treinamento começa na sala de aula, com uma aula teórica, antes de passar para um campo de tiro. Os alunos aprendem a atirar de posições em pé e se preparam para situações caso os sequestradores que tentarem roubar sua arma.

Depois de se formar no Novo México, os pilotos recebem treinamento a cada seis meses. E a cada cinco anos, há uma atualização de dois dias. Na cabine também podem transportar a arma na cintura, e fora da aeronave obrigatoriamente em sua mala.

Em todo o planeta houveram 55 sequestros de aviões desde 2001.

 

Via – BBC