O motor CFM Leap-1B que equipa toda a linha Boeing 737 MAX, recebeu o certificado de aeronavegabilidade da FAA e EASA simultaneamente. Esse certificado vem 3 meses após o 737 MAX8 realizar o seu primeiro voo, e um pouco mais de um ano antes da aeronave entrar em operação comercial.

O Leap-1B faz parte das alterações da Boeing para tornar a nova versão do 737 ainda mais econômica do que a geração atual de aeronaves, a redução proporcionada pelo novo conjunto de alterações pode se mostrar até 20% mais eficiente quando comparado ao 737 Next Generation. “Nós não poderíamos estar mais felizes com o desempenho desse motor”, disse o vice-presidente do CFM, Francois Bastin.

Em março, funcionários da CFM e da Boeing anunciaram já conhecia as especificações de desempenho, e que a queima alvo de combustível prometida em projeto seria alcançado pela entrada em serviço do 737 MAX. Até agora, a CFM só realizou uma modificação no motor Leap 1 desde que entrou em testes, ela adicionou um novo forro de vedação para o compressor de alta pressão.

O primeiro motor Leap-1B fez seu primeiro testes há dois anos. Como as outras versões 1A e 1C, o Leap-1B introduziu compósitos de matriz cerâmica nas mortalhas da turbina de alta pressão, a segunda geração de um formador de pré-redemoinho na câmara de combustão além da impressão de peças em 3D.

O motor CFM Leap-1A ganhou sua certificação de tipo em novembro do ano passado, abrindo caminho para a Airbus entregar o primeiro A320neo com propulsão da CFM, em meados de 2016. A mesma aprovação pela EASA e FAA também foi concedida para o motor Leap-1C, destinado a alimentar o Comac C919.

COMPARTILHAR