Aeronaves Não categorizado News

FAA irá propor correções de segurança para Embraer e Boeing

E-jet-na-pista-foto-Embraer

A agência reguladora de aviação dos Estados Unidos (FAA), irá propor para a Boeing e Embraer correções de segurança para suas aeronaves, incluindo possíveis substituições de peças. As medidas adotadas pela agência visam a melhoria na segurança de voo e atacam diretamente pontos específicos de projeto, isso pode levar a cerca de 1600 aviões a passarem por avaliação e troca de componentes.

Para os Embraer a FAA colocou em aviso 197 aeronaves do modelo 170 e 190, de acordo com eles válvulas defeituosas podem rachar e impor falha aos dois motores que equipam a aeronave, apesar de seu sistema redundante.

Em documento a FAA diz que apesar dos Backups presentes, como vários sistemas hidráulicos e elétricos, o defeito em um único componente pode colocar em risco todo o voo por falhas ou mal funcionamento. Na Boeing o mais afetado é o modelo 737, a qual a FAA recomenda para que verifiquem se há corrosão de partes do estabilizador horizontal, sendo todas do modelo NG que contém as séries -600,-700,-800 e -900/ER, o pedido inclui um aviso de atenção especial as peças internas e para aeronaves que sempre operam em zonas úmidas ou marítimas, isso irá afetar cerca de 1400 aeronaves produzidas.

0e0a7005a26c51717db164f724fa0cdce

A FAA não recomendou nenhuma correção obrigatória ou urgente, apenas estipulou o prazo de 3 meses para que seja feita as inspeções, e se necessitar as correções serão obrigatórias. A Embraer já enviou avisos semelhantes as companhias aéreas para corrigir defeitos em alguns modelos, porém nunca um Ejet 170 foi incluído na lista, a Boeing também já alertou tempos atrás para problemas semelhantes e que deveriam ser solucionados assim que identificados. Já a agência americana diz que nenhum acidente aeronáutico teve como causa os defeitos citados no documento, mas irá expandir a recomendação para outras agências como a EASA e a ANAC.

 

Nota da Aeroflap – Na indústria automotiva os defeitos na linha de fabricação, ou de projeto (como no caso do 737NG) são chamados de Recall quando precisam ser solucionados, tanto por colocar em risco a vida dos condutores e passageiros como por ser somente defeitos estéticos (esses geralmente chamados de Recall Branco). A aviação não foge muito disso, tais defeitos vão além da garantia de um produto e podem manchar a imagem da fabricante se for a causa de um acidente (vide Lockheed Comercial).

About the author

Pedro Viana

Pedro Viana

Acadêmico de Engenharia Aerospacial - Editor de foto e vídeo - Fotógrafo - Aeroflap

Newsletter

[newsletter_signup_form id=1]

Facebook

Em busca de hotel?


Share This