A GE Aviation apresentou durante o Farnborough Airshow o Open Flight Deck, um novo conceito de aviônicos da empresa, em uma proposta que abrange todo o mercado, pois a filosofia por trás desse sistema é uma plataforma aberta e facilmente integrável com qualquer tipo de aeronave.

As pesquisas da GE foram realizadas em parceria com a BAE Systems e incrivelmente a Rolls-Royce, uma das principais concorrentes da GE na parte de motores. As universidades Coventry e Southampton prestaram apoio financeiro e de criação neste projeto.

Ao todo o Governo do Reino Unido concedeu um empréstimo de £ 13,1 milhões para criar o conceito.

Além desse sistema no conceito do Glass Cockpit e com quase nenhum botão, a integração é o destaque do novo sistema desenvolvido pela GE Aviation, por exemplo, o FMS que é um sistema de gerenciamento de voo, tem capacidade de se conectar com um Ipad, tanto para passar dados sobre a aeronave como para planejar uma rota otimizada no dispositivo com base no banco de dados.

Tudo isso é compatível também com qualquer aeronave do mercado, isso mesmo, o sistema pode interpretar dados de quaisquer aviões, desde que o CCS (sistema principal) tenha um banco de dados daquela aeronave e o hardware seja atualizado com um protocolo de comunicação unilateral, algo que acontece desde o lançamento do Airbus A380.

No Farnborough a empresa mostrou como o piloto pode otimizar a sua rota, planejando ela no Ipad com dados fornecidos por um banco de informações, e transferindo diretamente o plano de voo para o FMS, sem precisar fazer as duas funções separadamente, gerando o dobro de trabalho para o piloto.

O aplicativo para Ipad já foi criado pela GE Aviation e se chama FlightPulse, a Qantas já está usando desde 2016, quando colaborou nos testes do sistema, e a AirAsia já demonstrou interesse fechando um contrato para fornecer dentro dos próximos quatro anos o FlightPulse e um serviço de garantia de qualidade de operações de voo, para uma frota de 355 aviões Airbus A320 e A330 da AirAsia.

Os sistemas de aeronaves são essencialmente congelados quando uma aeronave é certificada, e modificações ou atualizações posteriores podem levar anos para serem implementadas, a um custo significativo, argumenta a GE. Os EFBs atuais, utilizados no Ipad, não podem simplesmente se conectar com o FMS da aeronave, mas uma interface aberta e aprovada permite que os dois sistemas interajam, disse a empresa, além de permitir implementar novas funções com uma simples atualização de software realizada sem fio.

A plataforma aberta da GE Aviation possibilitará modificações e atualizações mais rápidas e acessíveis de aeronaves. O fabricante prevê uma melhoria de até 60% nos custos de desenvolvimento e 80% de melhoria no tempo necessário para lançar novos sistemas.

This post is available in: pt-brPortuguês