Recentemente a GE Aviation incorporou em seus serviços internos uma aeronave da HondaJet, esse avião serve para transportar com agilidade executivos da empresa, que não precisam mais esperar um horário adequado para realizar um voo entre uma linha de produção e outra. Outro segundo jato será entregue em breve para a GE, e irá compor a frota de jatos executivos da empresa.

Coincidentemente o novo avião também tem motores fabricados pela GE, e o vice- presidente da GE, David Joyce, não economizou elogios para a nova aeronave executiva da Honda Aircraft, ele classificou o avião como extremamente eficiente para a empresa, o custo por voo chega a ser mais barato do que depender de outros serviços adicionais.

Por exemplo, anteriormente a GE Aviation precisava que seus executivos ficassem em hotéis em Batesville, no Mississippi, porque não conseguiam voltar no mesmo dia para Cincinnati. O HondaJet permite que esses executivos deixem a fábrica antes do almoço para reuniões em Ellisville, no Mississippi, em seguida eles voam para Auburn, no Alabama, e retornam para Cincinnati no mesmo dia.

O gasto disso tudo é menor do que pagar uma passagem em cima da hora para companhias aéreas, alugar carros e passar a noite em hotéis. De acordo com Mottier, vice-presidente e gerente geral de negócios da GE Aviation, o HondaJet chegou a fazer 19 voos em 7 dias, visitando alguns locais que não são atendidos por companhias aéreas por voos diretos.

Na avaliação dos executivos da GE Aviation, um pequeno jato é essencial para uma empresa que trabalha com uma ampla cadeia de suprimentos, bem como vários clientes, a eficiência ganha pelo tempo economizado compensa os custos de aquisição e operação do pequeno jato.

Por causa disso agora a GE monta um processo para exemplificar e demonstrar a eficiência de pequenos jatos executivos, a empresa fará uma análise de todos os custos que está tendo com o pequeno jato da Honda, que vai desde os pilotos até a manutenção da aeronave. Essa etapa ajuda os clientes na visão da produtividade implementada pela aeronave, antes de comprar a mesma.

 

Via – Aviation Week

 

This post is available in: pt-brPortuguês