A GOL Linhas Aéreas teve muito a comemorar neste primeiro trimestre, a companhia novamente conseguiu registrar um lucro líquido positivo, acompanhando assim os resultados de 2016. No total a companhia conseguiu lucrar R$160,4 milhões no primeiro trimestre deste ano, e registra uma receita operacional líquida de R$ 2,6 bilhões, apesar da redução de aeronaves na frota (131 para 116) e também no número de voos (860 para 712, em comparação com o mesmo período de 2016.

No primeiro trimestre de 2017 a GOL transportou 8,2 milhões de passageiros, com taxa de ocupação média dos voos de 79,6%. A companhia ainda projeta uma taxa de ocupação de 78% para abril, 77%  para maio e 77% em junho. A companhia também continua com a liderança do mercado doméstico de aviação do Brasil, com 35% de participação, e se mantém na segunda colocação para voos internacionais.



A GOL ainda está confiante no mercado de aviação do Brasil, que apresentou um leve crescimento em março na demanda de passageiros, além de obter preços mais estáveis do petróleo e dólar, possibilitando que a companhia reforce seu planejamento.

Paulo Kakinoff, presidente da GOL, também demonstrou otimismo com fatores internos, como o melhor aproveitamento da frota em voos, que atualmente figura entre a melhor do Brasil em receita gerada por aeronave, e também citou a valorização das ações como um ponto positivo.

 

O novíssimo 737 MAX 8

Foto – GOL/Divulgação

A GOL também declarou a data que receberá o primeiro 737 MAX 8 da sua frota, será em julho de 2018, período equivalente ao anunciado pela companhia anteriormente. O 737 MAX 8 da GOL será configurado com 186 assentos, cerca de 9 assentos a mais do que nas aeronaves NG, mesmo assim a companhia manterá o mesmo espaço para o passageiro, visto que o 737 MAX ganhou melhorias no interior para levar mais 11 passageiros sem penalizar o espaço entre os assentos.

O número de série das 5 aeronaves 737 MAX 8 que a GOL irá receber em 2018 já foram divulgados (clique aqui para saber mais). A companhia já declarou anteriormente que planeja usar o 737 MAX para realizar voos internacionais de longa distância, e assim alcançar mercados que hoje não é possível com o 737 NG.

A GOL reforçou que o novo 737 MAX será até 15% mais econômico em comparação com suas aeronaves 737 NG mais recentes. Além de gastar menos combustível as aeronaves 737 MAX 8 vão contar com uma maior autonomia de voo, de até 6500 km (em comparação aos 5500 km atuais) e um MTOW de até 82 toneladas (em comparação às 70 toneladas atuais).

Desta forma, a GOL poderá oferecer voos sem escalas para os mercados de Miami, Ft. Lauderdale, Orlando e Cancún, destinos de alta demanda procurados pelos brasileiros.  O 737 MAX também é mais silencioso, com ruído 40% menor quando comparado ao atual 737 NG.

 

Veja o relatório financeiro do primeiro trimestre de 2017 Clicando Aqui.