A Gollog, unidade de cargas da GOL Linhas Aéreas Inteligentes, comemora essa semana 16 anos do início de suas operações. Presente nos 27 estados brasileiros, com cerca de 100 unidades em todo o país, a empresa celebra a data com uma média de 79 mil toneladas de carga transportadas por ano.

Nos últimos anos, a estratégia de negócios da Gollog está voltada para ampliar sua eficiência por meio de investimentos em infraestrutura, sistemas e melhorias de processos. Um exemplo disso foi a inauguração de novos terminais, como nos aeroporto de Congonhas e Viracopos, em São Paulo, e RioGaleão, no Rio de Janeiro.

Em 2016, a Gollog lançou um aplicativo exclusivo e pioneiro para o transporte aéreo de cargas. A ferramenta oferece uma série de facilidades, como a consulta da malha aérea, alertas sobre alterações na entrega por meio de notificações no celular, rastreamento de mercadorias e cotações. Como resultado dessa e de outras iniciativas, a Gollog tem recebido o reconhecimento dos seus clientes. Uma pesquisa realizada pelo IBOPE, que utiliza a metodologia NPS (Net Promoter Score) e mede o grau de satisfação e fidelidade dos consumidores, mostra que o índice da companhia vem crescendo nos últimos anos.

A Gollog utiliza as aeronaves e os voos comerciais da GOL, o que permite rapidez nas entregas, devido à regularidade das operações. Possui ainda uma frota de mais de 130 veículos terrestres que possibilita a captação, distribuição e entrega dos volumes nas mais diversas regiões do país. Ao todo, são 50 destinos e mais de 2400 municípios nacionais atendidos. No exterior, a Gollog possui operação própria e por meio de parcerias para mais de 195 destinos distribuídos entre 95 países da América do Sul, Central e Norte, Europa, Ásia e Oceania.

Entre os serviços disponíveis aos clientes, está desde o envio de documentos até volumes com 200 kg por unidade, além do Gollog Express, desenvolvido para atender a crescente demanda do mercado de cargas expressas, e o Gollog Internacional.

Atualmente, detém 28% do market share do transporte aéreo de cargas no mercado doméstico, de acordo com dados da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), e no terceiro trimestre do ano passado, registrou receita de mais de R$ 77 milhões.

COMPARTILHAR