O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, declarou que o governo planeja vender parte da companhia aérea estatal Air India, pelo menos até o final de 2018.

De acordo com Modi, a participação da empresa privada poderá ser de 49 ou 51%, caso aconteça esta última situação, uma companhia aérea estrangeira poderia ter controle total da Air India.

Mesmo acumulando uma dívida de US$ 8 bilhões e com uma frota que está envelhecendo, a Air India é atrativa devido ao crescimento da aviação na Índia nos últimos anos. Só em 2018 a companhia vai incorporar pelo menos 11 novos aviões Airbus A320neo e mais um 777-300ER.

A empresa continua aumentando a receita por volta de 10% ao mês, com o crescimento no número de passageiros transportados.

Ao contrário o governo tentou vender várias vezes a empresa nos últimos 20 anos, porém não obteve sucesso, Modi atribui isso ao estilo que era incorporado anteriormente, que não permitia um controle privado na empresa.

Atualmente a empresa que lidera a aviação na Índia é o grupo IndiGo, que está rapidamente crescendo devido a sua encomenda de 430 aviões da família A320neo, fabricados pela Airbus, a companhia já recebeu 32 aeronaves desse modelo. Além disso opera com outros 126 aviões A320ceo, enquanto a Air India tem 118 aviões de diversos modelos em sua frota.

O primeiro ministro não declarou quais empresas demonstram interesse em adquirir a companhia aérea, nem se as subsidiárias Alliance Air e Air India Express estão incluídas no negócio, mas outros meios de mídia informaram que a companhia será dividida em quatro partes(Air Índia, as duas subsidiárias, e a divisão de manutenção), para então ser licitada.

 

This post is available in: pt-brPortuguês