Foto - Reuters/Fabrizio Bensch

O Grupo IAG, liderado pelas companhias British Airways e Iberia, foi mais um que aproveitou os restos da Air Berlin, que fechou as portas em outubro. O IAG adquiriu parte dos ativos da companhia aérea Niki, que anteriormente operava pelo mesmo grupo da Air Berlin, pela pequena quantia de € 20 milhões.

Esse valor é baixo porque esses ativos incluem 15 aeronaves da família Airbus A320, além de várias rotas que a Niki já operava antes de fechar as portas. O valor de cada A320 novo pode passar de € 100 milhões.



A compra foi feita através de uma subsidiária do grupo Niki, a Vueling, e por isso esses aviões poderão ser operados pelo braço Low Cost do Grupo IAG. Inicialmente a suposta “nova companhia” vai operar na Áustria, mesmo país da Niki, os 740 funcionários serão empregados novamente.

Enquanto aguarda a aprovação de União Europeia, que rege a aviação no continente, o Grupo IAG já adiantou que maiores detalhes das operações e das rotas serão divulgados posteriormente.

 

Outras companhias que adquiriram partes da Air Berlin

Em outubro o Grupo Lufthansa assinou um acordo com a Air Berlin para adquirir partes das operações da companhia aérea.

A Lufthansa assumiu a parte da Air Berlin dedicada para destinos turísticos, a antiga companhia aérea Niki, além de ficar com a subsidiária regional LGK e mais 20 aeronaves. Para isso a Lufthansa pagou o valor de € 210 milhões.

A easyJet assumiu a compra de 25 aviões da Air Berlin no final de outubro, inaugurando também as suas operações como hub em Berlin/Tegel. O valor total do acordo foi de 40 milhões de Euros, novamente um valor irrisório para a quantidade de aviões e equipamentos incluídos no contrato.