Foto - Infraero

Durante um fórum de companhias aéreas líderes da aviação na América Latina, em Buenos Aires, o diretor-geral da IATA, Alexandre de Juniac, disse que os governos locais prejudicam as empresas com manobras burocráticas, que diminuem o lucro e a atratividade do negócio na região, resultando também em pouca concorrência.

Juniac se concentrou principalmente em criticar a falta de apoio para garantir o lucro para as companhias aéreas, de acordo com ele, as companhias da região conseguem lucrar US$ 3 por passageiro, enquanto a média global é de US$ 7,69.

Grande parte desse problema é derivado da burocracia causada pelas políticas governamentais, que dificultam a rápida adaptação das companhias ao mercado externo, o resultado é que durante muito tempo as empresas ficam amargando resultados insustentáveis.

Ele cita que viu recentemente os governos aumentarem os custos para as companhias aéreas através de impostos, taxas de combustível e “custos de infraestrutura de monopólio mal regulamentados”. Tornando a operação pouco atrativa principalmente para a aviação regional.

A IATA está prevendo que as companhias aéreas da região alcancem um lucro de US $ 800 milhões neste ano. Juniac chama isso “boa notícia”, mas ressalta que “ainda há trabalho a ser feito para fechar essa lacuna”.

“Então, nossa mensagem para os governos é que a redução de custos, a construção de uma regulamentação mais inteligente e a expansão da capacidade de infraestrutura, é algo com potencial para aumentar a conectividade e disseminação da prosperidade, crescendo a economia e criando novos empregos”, concluiu Alexandre de Juniac.

 

Via – FlightGlobal

COMPARTILHAR