Imagens obtidas a partir de um satélite israelense (EROS B), e também imagens tiradas por pessoas nas proximidades da Base Aérea de Hmeymim, mostram mais caças Sukhoi SU-57, de fabricação russa, na Síria.

Além dos dois caças fotografados pelo satélite no dia 23 de fevereiro, e também vistos acompanhados por um SU-35, outros dois SU-57 possivelmente chegaram no último sábado na Síria acompanhados por caças Su-30SM.

Apesar da suspeita sobre a presença de quatro caças SU-57 na Síria, só na última quarta-feira chegou ao local quatro aviões Su-35 e quatro jatos Su-25, esse último modelo é especializado em ataque terrestre.

O Ministério de Defesa da Rússia negou todas as informações. Já os políticos ligados ao movimento militar do país afirmam que o SU-57 está sendo utilizado com finalidade de teste, em uma situação de combate real.

O analista militar Vasily Kashin, por sua vez, opinou em entrevista ao jornal The National Interest que o objetivo principal dos Su-57 na Síria é testar os radares em condições parecidas com as reais.

Pelo cronograma inicial a previsão era que a entrada em serviço do SU-57 acontecesse em 2018. Mas talvez essa data seja postergada, visto que o caça recebeu recentemente o seu motor definitivo, que ainda está realizando testes em voo.

O Su-57 é o primeiro caça de 5º geração da Rússia, fora ele no cenário mundial existe o norte-americano Lockheed Martin F-22 Raptor (conhecido por ser o caça mais avançado do mundo, e o também norte-americano F-35).

This post is available in: pt-brPortuguês