Hoje a empresa estatal Infraero enviou um comunicado de imprensa sobre os Aeroportos de Congonhas e Pampulha, em relação aos recentes movimentos do Governo Federal sobre a concessão à iniciativa privada do primeiro, e a retirada das restrições do segundo aeroporto.

O comunicado sobre o Aeroporto da Pampulha pode ser conferido integralmente abaixo, e ressalta a capacidade operacional do local e também a retomada dos lucros no aeroporto, desde 2005 a Infraero só registra prejuízo com a operação limitada do aeroporto mineiro, localizado na zona central de Belo Horizonte.

Foto – Infraero/Divulgação

 

A retirada das restrições, que limitava o aeroporto a realizar apenas voos regionais para cidades do Estado de Minas Gerais, atraiu rapidamente o interesse das companhias aéreas, que solicitaram 154 novos voos em cerca de 48 horas, mesmo com a limitação operacional que só permite no máximo operar com o A318, E190 e o Boeing 737-700. (Confira mais Clicando Aqui)

Segue o comunicado:

“Entre os esclarecimentos, constará que o esvaziamento do tráfego aéreo em Pampulha gerou R$29,8 milhões de prejuízo líquido em 2016, devido a uma redução de passageiros que ocorreu justamente quando o aeroporto da capital mineira batia recordes de movimentação de passageiros, com mais de 3 milhões de embarques e desembarques em 2005. Já em 2016, esse número caiu para cerca de 300 mil embarques e desembarques.

Ainda sobre Pampulha, a Infraero esclarecerá que, desde a autorização da retomada dos voos, a estimativa de aumento das receitas será da ordem de R$ 22 milhões ao ano. Desta forma, o resultado financeiro projetado seria um lucro de R$ 3 milhões anuais. A ampliação da exploração de Pampulha terá, ainda, papel complementar ao aeroporto de Confins, que é capaz de operar como um hub de conexões e atender demanda doméstica e internacional, devido à sua alta conectividade e capacidade operacional superior.”

A Infraero ainda divulgará, até meados de novembro, uma carta de esclarecimentos sobre a reativação do aeroporto de Pampulha, em Belo Horizonte, além de prestar as informações sobre a decisão que evitou a privatização do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

This post is available in: pt-brPortuguês