Mais uma questão negativa está atingindo o Lockheed Martin F-35, dessa vez a situação envolve a Itália, um dos países participantes do projeto que financia o F-35, além de dar assistência e participar da concepção do caça de 5ª geração.

Porém ao que parece a Itália estaria abandonando o projeto, o que é bem ruim como afirmada o presidente da AIAD (Federação Italiana Aeroespacial, de Defesa e Segurança), isso iria prejudicar os empresários que investem o caça, bem como a introdução de um centro de assistência para o caça que seria colocado na Itália, afirma também o presidente da AIAD, Guido Crosetto.



Ainda de acordo com as falas de Crosetto, caso a Itália seja expulsa do programa isso iria criar “consequências políticas” entre os EUA e a Itália. Outros países que também fazem parte do projeto do caça de quinta geração são o Canadá, Grã-Bretanha, Países Baixos, Noruega, Dinamarca, Japão, Austrália e Turquia.

Só a Itália investiu mais de um bilhão no projeto, desde o ano de 2002. Ao todo o caça norte americano já soma cerca de 400 bilhões. Dado o tamenho do investimento feito pela Itália não resta dúvidas, que sim, a saída do país do programa além de criar situações negativas entre as nações, seria ruim para o próprio projeto do Lockheed Martin F-35. 

 

Fonte – Sputnik News