Foto - NASA / Chris Gunn
Foto – NASA / Chris Gunn

Os 18 espelhos que compõem o conjunto primário do James Weeb foram protegidos individualmente com uma capa preta quando foram montados na estrutura do telescópio. Agora, pela primeira vez desde que o espelho primário foi concluído, o resto da estrutura que compõe o telescópio espacial pode finalmente ser montado.

Em uma sala totalmente limpa e com um pé direito muito alto na NASA Goddard Space Flight Center em Greenbelt, James Weeb mostra que este espelho será o maior já enviado ao espaço. Atualmente, os engenheiros estão ocupados montando e testando as outras peças do telescópio.

Cientistas de todo o mundo vão usar este observatório espacial e controlado diretamente da Terra, para unicamente capturar imagens não apenas das primeiras galáxias que surgiram logo no início do universo, próximo de 13,5 bilhões de anos atrás, mas também toda a gama de fontes astronômicas, como a estrela formando nebulosas, planetas extrasolares, ou mesmo luas e planetas dentro de nosso próprio sistema solar.

Para garantir que o espelho realmente será forte o suficiente, ele foi fabricado em Berílio, que prova ser um material forte, leve e com boa estabilidade em baixa temperatura. Cada segmento do espelho é aproximadamente do tamanho de uma mesa de café e pesa cerca de 20kg. Uma fina película de ouro foi vaporizado em cada segmento para melhorar o reflexo do espelho da luz infravermelha. O espelho totalmente montado é maior do que qualquer foguete atual pode transportar, mesmo que ele se dobre ao meio.

Atrás de cada espelho há vários motores para que ele consiga manter seu alinhamento no espaço, o que torna a calibragem ótica de todo o conjunto algo muito eficiente, e minimiza erros como ocorreu no Hubble. Este telescópio irá passar por muitos testes rigorosos para garantir que ele possa suportar as condições do lançamento através de foguete e do espaço.

O Telescópio Espacial James Webb é o sucessor científico para o Telescópio Espacial Hubble da NASA. Será o mais poderoso telescópio espacial já construído. Webb vai estudar muitas fases na história do nosso universo, incluindo a formação de sistemas solares capazes de suportar a vida em planetas semelhantes à Terra, bem como a evolução do nosso próprio sistema solar. O lançamento será realizado na Guiana Francesa, a bordo de um foguete Ariane 5, em 2018.

COMPARTILHAR