Na FIDAE 2018 a Embraer não investiu muito em levar novos aviões, a exposição da empresa estava composta por dois aviões, KC-390 e A-29, e um stand para apresentar seu portfólio de produtos.

Apesar disso a empresa quis voltar todas as suas atenções para o KC-390, principalmente porque a unidade exposta era a mesma que se envolveu em um grave incidente aéreo em outubro de 2017, e foi recuperada pela empresa desde então, voltando a voar em março.

O KC-390 exposto mostrou a confiabilidade e resistência do projeto, suportando duas vezes uma força G estipulada no projeto, e mesmo assim conseguiu pousar. Após isso a Embraer precisou de apenas 5 meses para retornar a aeronave ao serviço.

Mas a exposição do KC-390 no Chile também se destaca por um fundo de “possibilidade de compra”. Em 2010 o presidente do Chile, Sebastián Piñera, declarou que o país entraria no hall dos interessados neste avião, e ano passado ele voltou a ser presidente. A finalidade desta vez é convencer o presidente chileno da compra do KC-390, apesar que isso não é uma prioridade para o país.

As negociações ainda engatinham, o general Lorenzo Villalón Del Fierro, em entrevista na FIDAE, não quis comentar sobre a compra do KC-390, demonstrando que o governo não espera divulgar nada tão em breve.

Sem um posicionamento da Embraer e também das Forças Armadas do Chile, bem como do governo, é impossível saber o estado atual das negociações entre as partes. 

Enquanto isso a própria Embraer aproveitou para demonstrar o avião à outros países da América Latina, aliás, a FIDAE é o maior evento de aviação em nossa região, nem o Brasil tem algo parecido.

Enquanto isso a Embraer avança as negociações com Portugal, que exige o primeiro KC-390 até 2021, dos 5 encomendados.

 

This post is available in: pt-brPortuguês