Nesta semana, durante uma reunião com investidores, o diretor financeiro da Latam, Ramiro Alfonsin, disse que o grupo está cogitando lançar uma companhia aérea Low Cost como uma subsidiária da principal, que hoje é a Latam.

“Esta é definitivamente uma ideia que analisamos e continuaremos a observar, não o descartaria no momento presente”, disse Alfonsin durante uma reunião de apresentação de resultados do 4T17.

A Latam tentou deixar seu serviço Low Cost nos últimos anos, padronizando-o em toda a América do Sul. No Brasil a companhia iniciou a cobrança do despacho de bagagens e agora cobra também pelo lanche a bordo, sua frota no mercado doméstico é quase 100% padronizada na família A320, e a diretoria claramente pretere rotas de alta demanda, para trabalhar com uma maior média de ocupação.

Mesmo assim as atitudes da Latam não estão sendo suficientes, pelo menos fora do Brasil, para concorrer com as novas companhias que estão surgindo apenas para esse propósito, como a FlyBondi, Norwegian Air Argentina e a JetSmart, essa última do Chile.

Neste momento uma subsidiária Low Cost poderia ajudar a Latam a trabalhar com uma estrutura de custos enxuta, e conseguir concorrer em preço com as novas companhias, já citadas.

This post is available in: pt-brPortuguês