No dia 1º de dezembro, estreia no Brasil o filme “Sully – O Herói do Rio Hudson”, dirigido por Clint Eastwood, com Tom Hanks no papel principal. O astro interpreta o capitão Sully, que, para salvar a vida das 155 pessoas a bordo do Airbus A-320 da US Airways, realizou uma aterrissagem de emergência no Rio Hudson, em Nova York.

O filme, produzido pela Warner Bros. Pictures, mostra a visão do piloto e seu feito sem precedentes na história da aviação, além de contar sobre a investigação que ameaça sua reputação e sua carreira. Já o livro “O voo da fé – O milagre do Rio Hudson”, de Frederick Berretta, publicado por Paulinas Editora, é a narração, em primeira pessoa, da experiência de um dos passageiros.

O voo 1549 partiu do Aeroporto LaGuardia no dia 15 de janeiro de 2009, quando, poucos minutos após a decolagem, foi atingido por um bando de gansos-do-canadá, que destruíram os dois motores do avião. O acontecimento foi notícia no mundo inteiro e ficou conhecido como “O milagre do Rio Hudson”.

No livro “O voo da fé”, o autor, Fred Berretta, que também é piloto amador, intercala a história do incidente com relatos de sua vida, destacando momentos em que se viu diante de situações difíceis. Ele, que vem de uma família católica, afastou-se da religião durante a adolescência e abandonou-a de vez na juventude, ao entrar na faculdade. Diversas vezes, conta que chegou a sentir-se “zangado” com Deus, por causa de acidentes, perdas e fatos de natureza ruim ocorridos em sua própria vida ou na de entes queridos. No entanto, sentia algo dentro de si impulsionando-o para Deus.

Foto - Divulgação/Paulinas Editora
Foto – Divulgação/Paulinas Editora

Anos depois de reencontrar-se com a religião, quando achava que a vivia suficientemente, nos minutos que antecederam o impacto do Airbus com as águas do rio, percebeu que até ali não fora mais do que uma criança em termos de fé.

A verdadeira questão que se colocou para ele, então, era se estava disposto a aceitar a realidade – de que não tinha qualquer controle sobre sua vida – e a vontade de Deus. O fato de o piloto ter conseguido pousar com relativa segurança sobre o rio, permitindo que todos os passageiros fossem resgatados com vida, foi considerado por espectadores do mundo inteiro, mas principalmente por quem estava dentro da aeronave, um verdadeiro milagre.

Mas por que eles? Desde o avião ter se chocado contra um bando de aves, levando à perda dos dois motores de uma só vez, passando pelo pouso rigorosamente calculado e os procedimentos ordenados de evacuação, até a prontidão das equipes de salvamento – tudo parecia inusitado demais e, portanto, além da compreensão humana.

Para o autor, não se tratou apenas de sorte, mas da manifestação da Providência Divina, que, combinada com o trabalho humano, permitiu o desfecho feliz e o bem maior que dele derivou – no caso de Fred Berretta, o aprendizado do grande poder de Deus para salvar e proteger aqueles que recorrem a Ele com um coração contrito e amor sincero.

“O voo da fé” é uma narrativa emocionante que leva o leitor a repensar a profundidade de sua fé e confiança em Deus.

COMPARTILHAR