A Lockheed Martin diz que as tecnologias atuais de voo supersônico já são suficientes para o progresso do SR-72, uma aeronave que pode voar a Mach 6, desempenhando funções de reconhecimento e ataque. A empresa Strunk Works desde o início dos anos 2000 vem trabalhando no progresso do SR-72, aeronave essa que pode ser o substituto do SR-71 Blackbird. 

Por ter um desenvolvimento secreto e a portas fechas ainda pouco se sabe sobre o SR-72, mas segundo Rob Weiss, vice-presidente executivo e gerente geral da Lockheed Martin para Programas de Desenvolvimento Avançado, “A tecnologia hipersônica já está madura”.



Mas antes que saia o SR-72 deverá ser projetado um FRV (Veículo de Pesquisa de Voo), que resumindo seria um protótipo com dimensões próximas de um F-22 Raptor, que servirá de base para estudos enfim dar vida ao SR-72. Porém alimentado com um motor de ciclo alimentado completo.

Foto – Lockheed Martin

O foco da Lockheed será na construção de um veículo que atinja a velocidade de Mach 6 (6 vezes a velocidade do som). Para isso desde 2006 a Lockheed Martin e a Aerojet Rocketdyne trabalham em conjunto para o desenvolvimento de um reator do tipo “off-the-shelf”, com um scramjet para alimentar uma aeronave com um sistema de propulsão de ciclo combinado.

“O trabalho no ciclo combinado do motor ainda está ocorrendo e, obviamente, um grande avanço dos hipersônicos é do sistema de propulsão”, acrescenta Weiss. “Então, isso não é apenas inovação do ciclo combinado, mas em outros elementos do sistema de propulsão”.

A fabricante Lockheed Martin estima que o teste final de voo do SR-72 aconteceria em 2020, mas só será dado o progresso do desenvolvimento do SR-72 com a conclusão positiva do programa FVR. Mas uma coisa é certa, o SR72 se desenvolvendo seria mais um marco para a aviação, pois não é toda aeronave que pode substituir o lendário SR-71 Blackbird.

 

Via – Aviation Week