Foto - Lufthansa
Foto – Lufthansa/Facebook

Indo no mesmo caminho especificado pela a Airbus, a Lufthansa acredita que conseguirá uma economia de custos de até 23% com sua nova frota de A320neo, essa porcentagem é válida quando a nova geração é comparada com a anterior da Airbus, o A320ceo.

Isso tudo porque a Lufthansa acredita que os novos motores Pratt & Whitney PW1100G tem capacidade de entregar uma economia maior do que o previsto, de 15% pela Airbus. A estimativa da Lufthansa é que esse valor chegue até 17%. A companhia aérea também irá colaborar com a fabricante dos motores para solucionar restrições operacionais que afeta as primeiras unidades do A320neo.

Outro ponto que ajudará em aumentar os ganhos da companhia está na nova configuração interna do A320neo que dispõe de 180 assentos, ante os 168 passageiros que o A320ceo transporta, assim é possível a companhia ofertar mais 12 assentos que são até 19% mais eficientes quando comparado diretamente.

A partir de julho a Lufthansa irá operar outra aeronave que conta com os novos motores da Pratt & Whitney, o CS100 da Bombardier, que irá operar através da sua subsidiária Swiss, que também é a cliente de lançamento da nova geração de jatos na faixa de 100 assentos. Atualmente a Lufthansa tem 60 encomendas fixas para o A320neo, mais as opções de compra.

Veja também:

Lufthansa recebe primeira unidade do Airbus A320neo 

COMPARTILHAR
Pedro Viana

Acadêmico de Engenharia Aerospacial – Editor de foto e vídeo – Fotógrafo – Aeroflap