O diretor executivo da Lufthansa, Carsten Spohr, afirmou recentemente que a encomenda de aeronaves A350 e 777X da Lufthansa pode sofrer alterações, com possibilidade até de cancelamento da encomenda, isso porque a companhia é a cliente de lançamento do 777X, com programação para receber a primeira aeronave em 2020.

Para se adequar aos prazos dos fabricantes, a companhia irá avaliar até setembro a sua necessidade de novas aeronaves para os próximos anos, e através de uma reunião entre diretores com o Carsten Spohr, definirá quais aeronaves terão suas encomendas adiadas ou até mesmo canceladas. Dessa forma a Lufthansa readequará sua frota de jatos widebody para os próximos anos.



Spohr citou até mesmo a possibilidade de cancelar as encomendas do 777-9X e reverter elas no A350-900, que tem menor capacidade de passageiros.

Imagem – Boeing/Reprodução

Isso pode representar um perigo para a Boeing, que já anunciou um corte na produção da atual geração do 777 por causa da baixa demanda, sem a encomenda da Lufthansa, para até 34 aeronaves (20 firmes), a lista de pedidos do 777X ficaria mais dependente das companhias Árabes, como a Emirates, Qatar e a Etihad. E isso é capaz de aumentar o risco do projeto, já que a viabilidade do mesmo pode ter maior dependência da estabilidade financeira dessas companhias.

“Não tenho certeza se realmente encomendamos o suficiente de aeronaves A350 ou possivelmente muitos 777X”, disse Spohr em uma reunião de equipe, assim como registrado pela Bloomberg. “Agora devemos pensar que algumas encomendas do 777X atrasem, em acordo junto com a Boeing, ou vamos aumentar a lucratividade da companhia para financiar nossos investimentos de frota”.

A Lufthansa também poderá colocar aeronaves A350-900 para operar nas cores da Eurowings, como forma de evitar um crescimento abrupto da frota em curto prazo. 

Airbus A350 da Lufthansa

A Boeing afirma que atualmente a família 777 representa sua segunda maior fonte de lucro, após os aviões 737 NG e MAX, apesar do imenso sucesso do Boeing 787, que atualmente já conta com mais de 500 aeronaves entregues, três versões e mais de 1200 encomendas, sendo destas 672 que ainda aguardam a sua entrega. A Boeing até afirmou ser possível aumentar a produção do 787 de 12 para 14 aeronaves por mês, assim que o 787-10 começar a ser entregue em 2018.

Spohr disse que para a Lufthansa é importante substituir as aeronaves quadrimotoras por modelos mais modernos, porém a aquisição do 777X requer 3,9 bilhões de euros da companhia. Atualmente a Lufthansa opera com os quadrimotores Airbus A340-300, A340-600, A380, Boeing 747-400 e 747-8i, totalizando 80 aeronaves que tem quatro motores.

O Boeing 777X é uma evolução do atual 777, com capacidade para mais de 400 passageiros em sua versão 777-9X, a jato da Boeing é equipado com dois motores GE9X, que tem capacidade para entregar até 105 mil lb de empuxo com até 10% a mais de economia de combustível. A Boeing fez alterações nos sistemas da aeronave e no interior, para ampliar a modernidade do avião que foi lançado na década de 90 e até hoje está entre os widebody mais operados pelas companhias aéreas do mundo.

 

Via – Bloomberg