Azriel Blackman é um mecânico da American Airlines, mas há algo de especial nele que levou a companhia fazer uma homenagem especialmente para este senhor que nunca faltou ao trabalho em 75 anos de serviço, ele nunca faltou um dia de trabalho em sua função de mecânico de aeronaves, todos os dias em que trabalhou ele zelou pela conservação das aeronaves.

Blackman começou sua carreira em 1942, com apenas 16 anos de idade, ele fez o curso de mecânico na Aviation High School, localizada antigamente em Manhattan, Nova York, mas ele inicialmente trabalhava na fabricação de chapas de metal, ganhando 50 centavos de dólar por hora, na época era um dinheiro considerável.

O primeiro avião que Blackman trabalhou foi um Sikorsky do tipo hidroavião, com capacidade de pousar na água, faz tanto tempo que a American Airlines ainda se chamava American Export Airlines.

Foto – Chang W. Lee / The New York Times

O hidroavião tinha uma característica boa, ele era a primeira aeronave da American Airlines que conseguia cumprir rotas dos EUA para a Europa sem escalas. “O primeiro avião em que trabalhei era muito “grosseiro”, não tinha nenhum dos sistemas de aviões modernos “, disse Blackman sobre o Sikorsky.

Blackman também já passou por todo o tipo de mudança na manutenção de avião, e as diferentes tecnologias implementadas durante as últimas décadas. “Todo dia o trabalho é diferente”, disse Blackman. “Você não está fazendo o mesmo repetidamente, e isso é bom. Se durante uma caminhada ao redor do hangar eu vejo algo em que posso ajudar, eu faço isso”.

Um grande marco para sua carreira foi quando o Boeing 747 chegou na frota da American Airlines, na época ele já estava trabalha há 25 anos na empresa.

 

Rotina

Foto – Chang W. Lee / The New York Times

A rotina do Sr. Blackman continua a mesma, ele comparece no hangar de manutenção da American Airlines no Aeroporto John F. Kennedy cinco dias por semana, seu turno começa às 5 da manhã, atualmente ele só revisa a documentação das manutenções realizadas, indicando o que precisa ser feito nos outros aviões da companhia, sua experiência contribui para realizar esse serviço com excelência de um veterano que já trabalhou com vários aviões.

Uma hora depois ele inicia sua caminhada pelo hangar para conferir os serviços que estão sendo realizados pelos mecânicos mais novos, uma pequena pausa é realizada às 10 horas para o almoço e mais uma jornada de caminhada pelo hangar é feita.

Foto – Chang W. Lee / The New York Times

Seu turno se encerra às 1h da tarde, então ele se dirige para sua casa em Queens Village.

Atualmente ele não tem permissão para subir em escadas íngremes, dirigir carros de serviço da companhia no aeroporto e nem usar ferramentas de manutenção, ele apenas indica o serviço a ser feito e confere se tudo está sendo realizado de acordo com o manual de manutenção. O seu trabalho também é acompanhado por um co-chefe de manutenção da companhia no JFK.

 

Homenagem

Mas a companhia também fez uma homenagem com a ajuda dos funcionários da empresa, são 75 anos sem faltar ao trabalho, demonstrando o puro amor por aviões

“Ele adora vir ao trabalho”, disse Robert Needham, chefe do Sr. Blackman e gerente da estação da base de manutenção da companhia aérea em Nova York. “Sua ética de trabalho é algo que eu amaria ter em cada um dos meus 368 mecânicos daqui”.

“Ele representa uma memória institucional valiosa que diz: É assim que fazemos isso na American. Este é o nosso compromisso com a qualidade“, disse o Robert Crandall, atual ex-presidente da American Airlines. “É assim que você passa para a próxima geração. Ele é o cara que se senta com as novas crianças no almoço e passa seu conhecimento. ”

Durante uma comemoração realizada ontem o Sr. Blackman foi condecorado com uma quebra do recorde no Guiness Book, ele foi listado como o mecânico de aeronaves com maior carreira no mundo. Ele quebrou o recorde anterior do Byrd Akana, que começou a sua carreira na United Airlines em 1949.

Uma aeronave da família Boeing 777 da American Airlines ganhou o nome de Azriel Blackman, em homenagem ao mecânico de 92 anos durante a cerimônia que foi realizada ontem.

Azriel também ganhou um voo com o Boeing 777 por Nova York para ele e sua família. Há cinco anos ele também ganhou um mural da American Airlines e agora ganhou uma placa em comemoração ao seu trabalho.

 

Vídeo – Pintura especial realizada no Boeing 777:

 

Vídeo – Cerimônia 

 

COMPARTILHAR