A Emirates Airline decidiu reduzir a oferta de assentos para cinco cidades dos EUA a partir de maio. Essa medida da Emirates garante um ajuste da oferta oferecida pela companhia com a demanda de voos para os Estados Unidos, que caiu após as restrições americanas relacionadas as viagens de Dubai para os EUA.

“Esta é uma decisão comercial em resposta à demanda enfraquecida de viagens para os EUA”, disse o porta-voz da Emirates. “As recentes ações tomadas pelo governo dos Estados Unidos com relação à emissão de vistos de entrada, o reforço do controle de segurança e as restrições em transportar dispositivos eletrônicos nas cabines de aeronaves, tiveram um impacto direto no interesse dos consumidores e na demanda de viagens aéreas para os EUA”.



A Emirates de Dubai reduzirá voos para Boston, Fort Lauderdale, Los Angeles, Orlando e Seattle, assim como afirmou um porta-voz da Emirates. A partir de 1 de maio e 23 de maio, respectivamente, serão cortados voos em Fort Lauderdale e Orlando, as duas cidades só terão cinco frequências semanais, atualmente as frequências de voos são diárias. Em 1 e 2 de junho Seattle e Boston, respectivamente, terão seus voos reduzidos pela metade.

No dia 1 de julho a Emirates também reduzirá seus voos em Los Angeles, atualmente a cidade recebe dois voos por dia, e passará a receber somente um voo diário com o Airbus A380.

Atualmente a Emirates voa para 12 cidades dos Estados Unidos, ela também é a única companhia aérea com voos direto dos EUA para Dubai.

No início deste ano, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou um decreto para restringir viagens aos EUA por cidadãos de até sete países de maioria muçulmana. As ordens foram posteriormente bloqueadas por tribunais dos EUA. Em maio, a administração de Trump anunciou uma proibição de dispositivos eletrônicos nas bagagens de mão em voos para os EUA a partir de países árabes.

 

Via – FlightGlobal