O menor jato da família dos jatos executivos da Embraer, o Phenom 100, alçou voo para mais um país da Améria do Sul, o país em questão é a Argentina, e são dois jatos envolvidos. Tal marco representa a entrada da Embraer no mercado de aviação executiva, segundo a fabricante brasileira os dois jatos estão sendo utilizados para voos fretados e particulares.

O fato é animador, segundo o diretor de vendas da Embraer Executiva na América Latina, Gustavo Fonseca, é que o mercado argentino desse setor está em recuperação. As vantagens do menor jato da família executiva Embraer, são o conforto, o baixo custo de operação, um bagageiro grande e uma autonomia de 2182 Km, podendo ir da capital argentina (Buenos Aires) até Santiago, no Chile, por exemplo.

Outro fator que será levado em consideração após a entrada do Phenom 100 na Argentina, é a certificação das autoridades argentinas em homologar o centro de serviços da Embraer em Sorocaba- SP para a manutenção e montagem completa dos jatos, além disso está sendo estudada a possibilidade de construir uma empresa de manutenção homologada em Buenos Aires.

O mercado e a história da Embraer no país vizinho não é pequeno tendo aproximadamente 170 aviões só no mercado executivo, no mercado comercial a companhia Austral Líneas Aéreas opera o modelo E-190, já a FAA (Força Aérea Argentina) opera o treinador avançado Emb-312, ou T-27 Tucano como também é conhecido.

Além disso há um fato curioso ocorrido durante a guerra das Malvinas, no qual a Argentina alugou do Brasil dois P-95 Bandeirulha (Emb-110 Bandeirante modificado para missões de patrulha), colocando a Embraer pela primeira vez em um cenário de conflito.

This post is available in: pt-brPortuguês