O Ministério de Economia da Alemanha realizou um questionamento quando ao planejamento de comprar aviões de transporte fabricados nos Estados Unidos, tal planejamento estava sendo implementado pelo Ministério de Defesa da Alemanha.

A grande alegação utilizada pelo Ministério de Economia da Alemanha foi a presença de fornecedores da Embraer na Alemanha e em toda a União Europeia, que poderia gerar benefícios para o país caso o KC-390 fosse escolhido para ser a aeronave de transporte do país germânico.

A Alemanha está na busca de uma aeronave para substituir os Transall C-160, que será aposentado em 2021, entre as aeronaves analisadas pelo Ministério de Defesa da Alemanha está o C-130J, fabricado pela Lockheed Martin. Atualmente a Alemanha está apoiada em uma encomenda de Airbus A400M, porém essa aeronave não tem o mesmo porte do C-160.

Um secretário de Estado no Ministério de Economia da Alemanha, Brigitte Zypries, disse aos legisladores através de carta que ele tinha sugerido o KC-390 ao seu colega do Ministério da Defesa, após uma visita ser realizada nas instalações da Embraer no Brasil.

Segundo KC390 à direita da foto. Foto - Embraer
Segundo KC390 à direita da foto. Foto – Embraer

De acordo com Zypries, o KC-390 é uma alternativa “muito convincente” para a compra de aviões de transporte, quando comparado com o C-130 da Lockheed Martin Corp C-130J, proposto pelo Ministro Ursula Von der Leyen. Von der Leyen disse no mês passado que a Alemanha estava planejando comprar 4 ou 6 dos aviões da Lockheed para operá-los em conjuntamente com a França, essa aeronave seria um complemento ao A400M, que é de maior porte.

Um porta-voz do Ministério da Defesa confirmou ter recebido a carta, mas recusou-se a comentar sobre o conteúdo que ela continha. A Lockheed disse que continua disposta a trabalhar com a Alemanha para satisfazer as suas necessidades de transporte aéreo.

Na carta, relatada pela primeira vez pelo Spiegel online, Zypries disse que as empresas alemãs se beneficiariam mais de uma compra brasileira, citando fabricante de armas Rheinmetall AG como um exemplo para expandir os negócios da Alemanha no campo de defesa.

A Alemanha ainda não tem previsão para lançar um plano final que irá substituir as suas aeronaves C-160.

 

Fonte – Reuters

COMPARTILHAR