O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre (PE) registrou, no primeiro semestre de 2017, um crescimento de 7,8% na movimentação de cargas. Entre janeiro e junho de 2017, o complexo logístico recifense contabilizou 4.800,6 toneladas ante as 4.450,2 toneladas movimentadas no mesmo período de 2016. Com esse resultado, o Teca de Recife foi o terceiro mais movimentado da Rede Infraero no primeiro semestre deste ano.

A movimentação de cargas com saída para o exterior cresceu 7,9%, considerando que no primeiro semestre de 2017 foram registradas 3.182,4 toneladas, e em 2016, 2.949,1 toneladas. Os principais produtos processados no terminal foram pescados resfriados (atum/meca), frutas (mamão/manga), produtos ortopédicos, painéis eletrônicos, sandálias e artesanato.



Os produtos importados apresentaram um crescimento similar, de 7,8%. De janeiro a junho de 2017 foram registradas 1.618,2 toneladas, enquanto no mesmo período de 2016 foram 1.501,1 toneladas. Os principais volumes recebidos nesse período peças automotivas, hemoderivados, equipamentos e instrumentos médicos e farmacêuticos.

De acordo com o superintendente do Guararapes, Carlos Antônio da Silva, o crescimento nas movimentações do Teca se deve às novas fidelizações, assinaturas de termos de acordo tarifários com grandes empresas, e o cuidado do Teca em melhorar internamente as operações. “Nos últimos meses nossa equipe analisou a inclusão de novos segmentos, intensificou as visitas aos potenciais clientes e tem praticado preços bem competitivos, com objetivo de atrair mais empresas para o Teca”, assinalou o superintendente. Outro aspecto ressaltado por Carlos Antônio foi a ampliação da oferta de voos a partir de Recife.

Já para o gerente de Negócios em Logística de Carga do Teca, Rodrigo Moroni, o avanço do terminal se deve aos serviços diferenciados oferecidos com preços bastante atraentes para as empresas. “Estamos o tempo todo buscando soluções interessantes para nossos clientes, seja em relação a valores ou a qualidade no armazenamento dos volumes. Nosso compromisso sempre foi em oferecer serviços com características diferenciadas”, garante Moroni. Ele destacou também que o contato direto com os sindicatos do segmento de comércio exterior propicia uma ampla divulgação dos serviços do Teca.

Ampliação do Teca
Além disso, o complexo logístico recifense recebeu melhorias entre 2016 e 2017. Uma delas foi a implantação de uma sala climatizada no início do ano. A medida ampliou as instalações para o armazenamento de cargas que requerem condições de temperatura diferenciadas. O ambiente, de 150 m³ e 42 posições de armazenagem, conserva as cargas entre 15 C° a 25 C°, ideal para atender à demanda de hemoderivados e equipamentos médicos hospitalares. A sala possui também sistemas de gerenciamento e monitoramento, onde são registradas de todas as condições da armazenagem e rastreabilidade do período da estocagem.

O terminal de logística de carga do Guararapes possui uma infraestrutura moderna e variada para o processamento das cargas, contabilizando empilhadeiras com capacidades de 3 e 7 toneladas, aparelho de raios x para carga, porta-paletes para armazenamento verticalizado, balanças de capacidades variadas (30, 500 e 7.000 Kg), racks fixos e móveis para movimentação de cargas, paleteiras manuais, plataformas hidráulicas, entre outros.

 

Via – Infraero