A história da aviação moderna não nega, a NASA tem uma grande participação na evolução do voo acima da velocidade do som, com a aeronave Bell X-1, a primeira que quebrou a barreira do som em 1947, logo após o foguete V-2.  Consideravelmente houve períodos durante as últimas sete décadas quando as melhores mentes vislumbraram e projetaram aeronaves com capacidades cada vez maiores em voo.

Asas curtas, asas longas, asas em forma de delta, com asas tipo tesoura, empenagem grande, sem empenagem, alta velocidade, baixa velocidade, propulsão a jato, propulsão a foguete ou mesmo propulsão nuclear. Individualmente cada uma dessas características demonstradas terá uma aeronave pioneira na história, que tem seu próprio triunfo ou derrota. Cada um foi feito por empresas diferentes e é operado por uma mistura diferente de organizações governamentais para uma infinidade de propósitos.

Juntos, eles são conhecidos como X-Planes, uma vez que alguns eram mísseis ou naves espaciais – e a simples menção deles provoca uma sensação de calor e um toque de nostalgia entre os entusiastas da aviação em todo o mundo.

“Eles certamente são interessantes em sua própria maneira. Cada um deles tem um lugar único na aviação que ajudam a fazer sua marca na história “, disse Bill Barry, historiador-chefe da NASA. “E eles são muito legais.”

Foto - NASA
Foto – NASA

E agora, os inovadores aeronáuticos da NASA, mais uma vez estão se preparando para colocar no céu uma série de novas aeronaves experimentais, cada uma destinada a continuar o legado de demonstrar tecnologias avançadas que irá romper conceitos na aviação.

Os objetivos incluem aviões pode queimar metade do combustível e gerar uma quantidade 75% menor de poluição durante cada voo, em comparação com agora, além de ser muito mais silencioso do que os jatos de hoje, talvez até mesmo em vôo supersônico.

A ênfase da NASA em X-Planes é chamado de “Novos horizontes da Aviação”, uma iniciativa anunciada em fevereiro como parte do orçamento presidencial, para o ano fiscal que começa em 1 de outubro de 2016. O plano é projetar, construir e voar uma série de X-Planes durante os próximos 10 anos como um meio para acelerar a adoção de tecnologias avançadas pela indústria de aviação.

“Nós podemos construir alguns desses X-Planes e demonstrar algumas destas tecnologias, esperamos que isso esteja na indústria o mais rápido possível, e logo esteja disponível para todo o mercado de aviação comercial e militar”, disse Ed Waggoner, Diretor de integração de sistemas na NASA.

 

Veja mais sobre os X-Planes em  – NASA irá investir orçamento em projeto X-Planes  – Lockheed Martin irá projetar o novo supersônico da NASA

COMPARTILHAR