Em breve a Ryanair pode realizar uma parceria com outra companhia aérea de baixo custo do Continente Europeu, depois de fazer uma espécie de code-share com a Air Europa, para atender ao mercado americano e da América do Sul, a Ryanair agora que se aliar com a Norwegian Air Shuttle, assim como a mesma pode se aliar com a easyJet, outra Low Cost europeia.

Isso tudo porque essa divisão da Norwegian oferece voos com preços muito abaixo do mercado para os EUA, inclusive recentemente iniciou suas rotas transatlânticas partindo da Irlanda. E a Norwegian precisa encher seus voos para obter lucro com eles, ao contrário a tarifa terá que subir, se os mesmos não obterem quase 100% de ocupação.

“Estamos falando com ambos … Estamos bastante seguros de que poderemos criar um “sistema” com um deles este ano”, disse Bjorn Kjos. A parceria também resulta em um novo sistema de software que permita a venda de passagens nos sites das duas companhias.

Kjos disse que o conceito poderia funcionar em aeroportos como Paris-Charles de Gaulle e Gatwick com easyjet, e na Irlanda para a Ryanair. Para ele duas horas são suficientes para as conexões com os voos da Norwegian.

Após a United demonstrar interesse, a Norwegian, que está investindo no 737 MAX 8 para fazer voos transatlânticos de baixo custo, disse estar interessada no conceito MOM da Boeing, Kjos descartou interesse no 737 MAX 10, alegando falta de autonomia na aeronave.

As novas rotas da Norwegian evitam os tradicionais destinos nas rotas transatlânticas como Boston/Logan e New York/JFK. A companhia trabalhará com aeroportos secundários que tem déficit de voos para a Europa. A única questão é a distância desses aeroportos para os centros de algumas cidades, Newburgh fica a 97km de Manhattan, e Providence a 95km do centro da cidade de Boston.

O grande destaque é o baixo preço dessas rotas, a Norwegian disse que é possível comercializar esses voos por apenas US$65, indo para até US$99 em voos de grande demanda. Esse preço só será possível devido a eficiência operacional do Boeing 737 MAX, que é até 20% mais econômico por assento quando comparado com o 737 NG, e até 8% quando comparado com o A320neo.

 

Via – NY Times

This post is available in: pt-brPortuguês