O novo jato chinês fabricado pela Comac, o C919, fez recentemente seu segundo voo de testes, que durou no total cerca de duas horas e meia. O primeiro voo desta aeronave ocorreu no dia 5 de maio, e desde então ela estava passando por atualizações em solo para calibrar melhor os sistemas de voo.

O jato da Comac decolou do Aeroporto de Xangai, em Pudong, às 07h23 e pousou às 10h09. O voo foi aos arredores da costa marítima da China, em uma área isolada para fazer esse tipo de procedimento, a altitude máxima não passou de 10 mil pés durante os testes, indicando ainda processos iniciais de aprendizagem sobre o avião.

Alguns veículos de mídia destacaram que o C919 deveria voar pelo menos até às 11h, mas o voo foi interrompido mais cedo, mesmo assim o segundo voo foi maior, em comparação com o primeiro.

De grande destaque está apenas o primeiro voo de uma nova versão do ARJ 21 juntamente com o C919 nessa missão.

 

Os testes do Comac C919

No total serão 4200 horas de testes em voo, a fabricante chinesa fará cerca de 2 aeronaves por ano até 2019, todas para alimentar o programa de testes que deverá demorar mais 3 anos. A produção em série será iniciada somente em 2020, por enquanto a Comac busca incrementar a sua capacidade de produção para evitar erros e atrasos no futuro. O primeiro voo comercial da aeronave deverá ser em 2020 com a China Eastern Airlines.

De acordo com a Comac, mais de 200 empresas chinesas e 36 universidades estiveram envolvidas na pesquisa e desenvolvimento do avião. Outras empresas estrangeiras como a Honeywell e a CFM também desenvolveram itens de extrema importância para um avião, a Honeywell ficou responsável pela parte de aviônicos, enquanto a CFM desenvolveu uma versão exclusiva do motor LEAP pra uso no C919, o LEAP-1C (como podemos perceber o motor CFM ganhou as “bochechas” presentes no Boeing 737 MAX).

Foto – COMAC/Reprodução

A empresa tinha planejado que o C919 começasse a voar em 2014, e que as primeiras encomendas fossem entregues em 2016, mas foi sucessivamente adiando devido a problemas de fabricação da aeronave. O extenso período de testes em solo, já citado acima, foi causado por diversas modificações que o C919 recebeu para então conseguir realizar seu primeiro voo.

A aeronave foi oficialmente apresentada no final de 2015, com expectativa de realizar o primeiro voo ainda nos meses iniciais de 2016.

 

O C919

O COMAC C919 é bem semelhante com o A320 da Airbus, medindo 38,9m de comprimento, 35.8 metros de asa, altura de aproximadamente 12m e largura de cabine de 3,9 metros. No geral está disposto 3 versões para compra que alcança de 156 passageiros até 174 quando em configuração de 1 classe com alta densidade, o seu projeto tem participação de empresas americana e europeias para construir diversos sistemas da aeronave, outro passo para a ocidentalização do COMAC.

A aeronave tem uma autonomia de 4075 km. Uma versão de longo alcance pode voar até 5555 quilômetros. A fabricante espera produzir cerca de 2000 aviões e já recebeu mais de 570 encomendas provenientes de 23 clientes, a maioria companhias aéreas da China que ganharam incentivo para comprar o jato. O C919 concorre diretamente com o 737 MAX 7 e o Airbus A320neo em capacidade de passageiros.

A Comac espera vender 2000 aviões C919 nos próximos 20 anos, mas para atingir essa meta a Comac precisa conseguir mais clientes em mercados fora da China.

 

This post is available in: pt-brPortuguês