A quinta geração de caças é marcada pela capacidade Stealth, ou simplesmente dos aviões sumirem nos radares, atualmente os EUA já desenvolveram dois caças com esse princípio (F-22 e F-35), enquanto a Rússia desenvolveu o SU-57, que anteriormente também foi citado como PAK FA e T-50.

Mas agora mais um país colocou seu novo caça de quinta geração em operação, a China autorizou que o Chengdu J-20 entre em serviço através de uma pequeno documento emitido pelo Ministério da Defesa da China, na manhã desta segunda-feira (02/10), e permite que o caça comece a operar em esquadrões da Força Aérea do Exército de Libertação Popular.

Esse também é um marco, visto que os EUA foram os primeiros a colocar em operação um caça de 5ª geração, a Rússia ainda está testando o SU-57 e não declarou a capacidade operacional do equipamento, enquanto a China deu um salto na frente e se tornou o segundo país com um caça de 5ª geração na sua Força Aérea, e também o mais avançado por lá.

Por enquanto não há definição sobre a quantidade de caças J-20 que entrarão em serviço inicialmente, alguns meios de comunicação da Ásia sugerem seis aviões, esses são derivados dos oito protótipos de voo utilizados no programa de testes, a AVIC, empresa chinesa responsável pela fabricação, ainda está produzindo mais 20 aviões de série, com a configuração final.

Enquanto isso a China está correndo para produzir uma versão ainda mais potente do motor WS-10, de fabricação própria, o novo motor WS-15 poderá dar a capacidade de super-cruzeiro para o J-20, permitindo voar em velocidade supersônica sem uso do pós-combustor, aumentando a autonomia da aeronave. Inicialmente o caça chinês foi equipado com motores russos Saturn AL-31F.

O J-20 é um caça semelhante em capacidade ao F-22, tem grande raio de ação, pode decolar com até 32000 kg e tem cerca de 30 metros de comprimento. O projeto da década de 90 estava sendo testado pelo menos desde 2011.

 

This post is available in: pt-brPortuguês