Após dois anos como comandante da Fumaça, o Tenente-Coronel Líbero Onoda Luiz Caldas passou o comando para o Tenente-Coronel Marcelo Oliveira da Silva durante a solenidade militar ocorrida no dia 14 de dezembro, na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP).

Como parte tradicional do evento, foi realizada a passagem de liderança em voo. Em uma passagem baixa com oito aeronaves, o Tenente-Coronel Caldas, pilotando sua aeronave no dorso, anunciou pela fonia a passagem de liderança para o Tenente Coronel Marcelo, que seguia à frente dos demais seis aviões.



Após o momento solene, o Tenente-Coronel Caldas realizou sua última manobra no comando de uma aeronave da Fumaça e o Tenente-Coronel Marcelo liderou o grupo para a dispersão e pouso.

Em seu discurso, o Tenente-Coronel Caldas destacou as relevantes experiências vividas na Fumaceiro e agradeceu a equipe com que trabalhou na Esquadrilha.

“Meu maior agradecimento é para a Fumaça, tanto para os integrantes atuais, durante o tempo em que estive como Comandante, quanto para aqueles com quem trabalhei enquanto fui piloto das posições de número 6 e número 7, e para os veteranos e Fumaças Honorários. Vocês sabem como é difícil passar por esse momento de deixar a Fumaça. Claro que, por toda unidade que passamos, guardamos um carinho por aquele momento. Mas com a Fumaça, todos que estão de fora conseguem ver a afeição que temos pelo Esquadrão. Ser Fumaceiro traz muitas lembranças boas, como o voo, pois temos a oportunidade de aprender a voar daquela forma, dentro da técnica e mantendo a segurança. As viagens são sensacionais, pois aprendemos muito. As pessoas que interagem conosco sempre têm uma forma positiva de nos tratar. E a experiência mais sensacional é a inspiração que causamos nas pessoas. Somos tratados como heróis por alguns que nos acompanham e conseguimos provocar orgulho de serem brasileiros naqueles que nos assistem. Isso é fantástico”.

Presidindo a cerimônia, o Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica, Major Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, ressaltou sobre o comando da Esquadrilha da Fumaça.

“Comandar uma unidade aérea: Eis o coroamento da trajetória de um oficial aviador. Este lugar e este momento permitem-nos unir simbolismos que descrevem com profundidade a nossa profissão. Primeiro, por estarmos no Ninho das Águias, onde sonhos de jovens se tornam vívida realidade, onde ganham asas, consolida-se o caráter e são forjados líderes militares. Não haveria, pois, mais acertado local para se abrigar uma unidade que nascera para motivar jovens aviadores a elevar as cores da nossa nação”.

O Major Brigadeiro Damasceno também fez elogios ao comandante substituído, o Tenente-Coronel Caldas.

“Cumpre-me agradecer por todo esforço, profissionalismo e entrega incondicional à missão, o que constitui exemplo salutar aos seus comandados e a todos que puderam, prazerosamente, contemplar nos céus a fantástica performance das sete aeronaves que nos representam e nos orgulham por onde passam. Prezado amigo, leve consigo meu pessoal reconhecimento pela sua perfeita condução da Fumaça, entendendo sua unidade aérea como meio de transmissão de conhecimento e divulgação da nossa Força Aérea”.

E continuou o discurso passando uma mensagem positiva ao comandante substituto: “viva com alegria e intensidade cada minuto desse comando. Sua história o credencia para ocupar este lugar, neste momento, e para continuar escrevendo os capítulos de sua carreira. Seu profissionalismo e caráter são reconhecidos. E por isso não tenho dúvidas que o seu desempenho à frente dessa nobre missão será irrepreensível”.

 

Via – Esquadrilha da Fumaça