Chegamos ao número 5 da nossa lista, foi ótimo entregar para vocês algumas informações sobre nossos aeroportos tidos potencialmente como perigosos, lembrando que nosso critério de avaliação foi condições climáticas, terrenos, aparelhos, e tamanho da pista, e não tem relação nenhuma com governo ou Infraero.

Seguindo, o aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, localizado em Joinville-SC, entrou para o último lugar na nossa lista de certa forma que apesar de todas as dificuldades de aproximação, um bom sistema de ILS facilita muito a pilotagem em condições de visual ruim. A história desse aeroporto começa desde 1934, quando um Zeppelin apareceu na cidade encantando a todos e ficando para história. O primeiro campo de pouso da cidade foi construído 4 anos mais tarde pelo prefeito Joaquim Wolf, que estava animado com a possibilidade de receber um grande tráfego de passageiros em sua cidade.

Vista do local via Google Maps.
Vista do local via Google Maps.

No ano de 2004 foi inaugurado o atual terminal, que conta com 4 mil metros quadrados de área e capacidade anual para 600 mil passageiros. Na mesma época foi construída a torre de controle. Está prevista uma expansão da pista para 2000 metros, que ainda não saiu da fase de projeto e elaboração.

Hoje Joinville recebe mais de meio milhão de passageiros, advindo São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília transportados pela: Azul, Tam e Gol. Com uma pista de 1640m recebe por volta de 20 voos diários e desde a implantação do ILS CAT I, facilitou muito a vida dos passageiros e pilotos que agora podem pousar em condição climática adversa.

Em seus aspectos está a difícil aproximação, graças a diversos morrotes perto do aeroporto que combinado a neblina, comum na época de inverno, dificulta a realização do procedimento por meio VFR, além da pista de curta distância com dois canais de água perto de suas cabeceiras. A pista de curta dificulta voos com maior carga paga, o que atrapalha a zona industrial de Joinville a escoar sua produção via aeronave, atualmente a cidade tem o 3º maior polo do Brasil na área de indústria e conta com uma população maior que um milhão de habitantes.

*RESUMO DO ESPECIAL
Bem como dito na matéria nós iriamos falar se os aeroportos receberam suas devidas atenções públicas ou privadas para o bem estar dos passageiros e seus funcionários e aqui vamos nós.

Congonhas: Após o acidente de 2007 houve ampliação da pista e nela também existe um escoamento que evita o acumulo de água deixando a mesma menos derrapante.

Ilhéus: Licitações em andamento mas ao que tudo indica por volta de 5 anos a cidade de Ilhéus receberá um aeroporto internacional muito maior que o atual, que contará com duas pistas e terminal de carga e capacidade para aeronaves de grande porte.

Santos Dumont: Desde o dia 9 de março de 2015 a Gol já pousa satélite RNP-AR que traz total precisão da aeronave em relação ao solo e horizonte podendo pousar mesmo sob nevoeiros, o aeroporto foi o pioneiro com essa tecnologia no país.

Vitória: Com obras já em andamento e previstas para acabar em 2017, a ampliação do aeroporto de Vitória parece que finalmente vai sair.

Joinville: Com um ILS do tipo CAT 1 já sendo utilizado desde o dia 26 de junho de 2014, o mesmo registrou uma ganho operacional de quase 70% e a possibilidade no aumento de ofertas de aeronaves que agora podem chegar e sair.

 

Texto – Totalmente por Igor Danin, ex-Aeroflap, informações postadas aqui são de total responsabilidade do autor do texto.

COMPARTILHAR
Igor Danin

Estudante , sou da Aeroflap desde novembro de 2013 e acompanhei o crescimento e sucesso da página desde o início antes de me tornar adm, e agora que faço parte da equipe cresço junto com o site.