Ainda nesta semana, na sexta-feira, o presidente da Embraer terá uma reunião com vários sindicatos de Araraquara, Botucatu e São José dos Campos, com finalidade de explicar os próximos passos da parceria com a Boeing e alinhar a questão dos empregos.

Paulo Cesar de Souza e Silva explicará como será o potencial impacto da parceria, tanto na produção de aeronaves como na parte de projetos da empresa. A negociação com os trabalhadores e a manutenção dos empregos no Brasil é um ponto-chave para a aprovação do acordo pelo Governo Federal.

A Embraer também precisará considerar as sugestões dos sindicalistas na reunião.

Presidente da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva.

Enquanto isso os sindicatos reclamam que a Embraer não está dando toda a importância para esse fator, já que a fabricante só procurou os sindicatos depois de assinar o memorando de entendimento, de acordo com Herbert Claros, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

Outras conversas serão realizadas com o Governo e hoje uma equipe de diretores da Embraer se reuniram com o BNDES, detentor da Golden Share, ação que dá poder à veto total das negociações com a Boeing ou qualquer outra empresa.

Além dos empregos, ponto alto da negociação visto que a Embraer emprega mais de 15 mil pessoas só no estado de São Paulo, o governo também avaliará a evolução tecnológica e ganhos de mercado para autorizar o acordo.

This post is available in: pt-brPortuguês