Atualmente a Boeing tem 100 anos de existência e uma vasta linha de aeronaves, a sua carteira de pedidos também impressiona, com 5715 encomendas no final de 2016 e US$ 94 bilhões de receita por ano.

Para 2017 a Boeing não divulgou uma alteração de preços, os preços se mantêm os mesmos de 2016 para todos os modelos da linha comercial da Boeing. As aeronaves da norte-americana Boeing também são cotadas em Dólar, moeda oficial de seu país sede. A apresentação de aeronaves e preços será no mesmo molde da postagem anterior, sobre os preços da Airbus.

 

 

Família Boeing 737NG

Atualmente o 737NG é a aeronave de maior sucesso da Boeing no quesito vendas, com suas 4 versões comercializadas já contabilizou 5713 entregas com 7033 encomendas. Essa aeronave chegou ao mercado para inovar e modernizar a linha 737 da Boeing, visto que a série anterior Classic não tinha um pé de igualdade em termos tecnológicos com o A320, recém lançado pela Airbus.

 

[accordion]

[accordion_item title=”737-700NG | US$ 80,6 milhões” state=closed]

Essa é a menor versão do 737NG, capaz de levar até 149 pessoas em configuração de alta densidade. Essa variante também gerou outras linhas de grande alcance, como a ER que contém 9 tanques a mais de combustível e é capaz de voar por, aproximadamente, 10500 km. Atualmente a GOL utiliza esse modelo.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 80,6 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”737-800NG | US$ 96 milhões” state=closed]

Essa versão é a líder de vendas na Boeing, ela comporta até 189 passageiros em classe única, na configuração conhecida como “Ryanair”. Seu alcance é um pouco prejudicado pelo tamanho e capacidade de carga, porém é uma aeronave bastante versátil para operação. Atualmente a GOL utiliza esse modelo.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 96 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”737-900ER NG | US$ 101,9 milhões” state=closed]

Foto ©Delta

Conhecido como o maior dos 737 até o momento, o -900ER surgiu a partir de atualizações do antigo -900 que durou poucos anos no mercado, a Boeing melhorou a autonomia e capacidade de passageiros, esse último foi possível instalando um par a mais de portas na fuselagem. Pode suportar levar até 220 passageiros em classe única.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 101,9 milhões.

[/accordion_item] [/accordion]

Família Boeing 737MAX

Assim como o NG, o 737 MAX chega ao mercado para competir com o Airbus A320neo, ele não poderia deixar de oferecer um custo ainda menor de operação quando comparado diretamente com a geração anterior. Mas não é só isso que a nova aeronave promete, ela consegue ser mais econômica e eficiente do que a família A320neo com seus 2 principais modelos, o 737 MAX 8 e o 737 MAX 9.

Para a Boeing alcançar esse nível de desenvolvimento, foram necessários novos motores, asas e implementações na aerodinâmica, sistema hidráulico, freios e aviônicos. Todo o esforço necessário para reduzir a complexidade e o peso da aeronave foi realizado, dando ao 737 uma nova sobrevida de 15 anos.

[accordion]

[accordion_item title=”737 MAX 7 | US$ 90,2 milhões” state=closed]

É a menor versão da nova geração MAX, para atender a solicitação de clientes a Boeing expandiu a capacidade do 700 para 163 passageiros, cerca de 14 assentos a mais quando comparado ao A319neo, A319ceo e 737-700 NG.

A fuselagem em si será alongada 1,17 m na parte frotal, e 76cm após a asa, na parte traseira da fuselagem. O peso máximo de decolagem subirá de 70300 kg para cerca de 80300 kg, e para isso a Boeing irá utilizar o trem de pouso do 737 MAX 8. O 737 MAX 7 também irá receber mais duas janelas de emergência, assim como no MAX 8.

Seu preço de tabela em 2017 é US$ 90,2 milhões.

[/accordion_item]

 

[accordion_item title=”737 MAX 8 / MAX 200 | US$ 110 / 112,9 milhões” state=closed]

A Boeing inovou ao oferecer 2 alternativas de interior, com a ascensão de companhias Low Cost era necessário otimizar o espaço interno. Graças a isso é possível comprar o 737MAX 8 com 189 assentos em alta densidade ou até mesmo 200, em uma configuração altamente densa, com assentos do tipo slim. No caso da versão normal é possível voar até por até 6500 km, enquanto a MAX 200 reduz para 5000 km por causa do maior peso.

Seu preço de tabela é de US$ 110 Milhões para o MAX 8 e US$ 112,9 milhões para a MAX 200.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”737 MAX 9 | US$ 116,6 milhões” state=closed]

Não era o ponto ideal para substituir 757, porém as melhorias apresentadas tornam essa versão mais atrativa do que a geração anterior. A capacidade de assentos é a mesma, enquanto a autonomia aumentou 500 km sem precisar de tanque extra.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 116,6 milhões.

[/accordion_item]

[/accordion]

Família Boeing 767

O 767 foi o pioneiro em oferecer novas tecnologias para o mercado de aeronaves bimotoras, na verdade quem apostou primeiro no mercado de médio porte foi a Airbus com o A300, porém o 767 trouxe, para a época, uma capacidade de carga melhor, autonomia superior e Glass Cockpit.

Em toda a sua vida o 767 gerou diversas aeronaves diferentes, porém na parte comercial teve 4 versões. Atualmente só está disponível no mercado a -300ER e -300F, este último destinado ao mercado de carga.

[accordion]

[accordion_item title=”767-300ER | US$ 197,1 milhões” state=closed]

O -300ER já está no mercado há um bom tempo, é mais econômico do que um A330, porém carrega um pouco menos de carga, o que torna ideal para transporte exclusivo de passageiros, apesar de ser um projeto antigo. Tem capacidade para 269 passageiros em configuração padrão de duas classes. A sua autonomia de voo é de 11700 km, adequada para voos transatlânticos. Atualmente a LATAM opera essa versão em diversos aeroportos pelo Brasil.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 197,1 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”767-300 F | US$ 199,3 milhões” state=closed]

O cargueiro do 767 é baseada na -300, porém otimizado para o transporte de maior peso possível. Nele é possível carregar 30 pallets do tipo LD no porão da aeronave e 24 pallets convencionais ao longo da fuselagem.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 199,3 milhões.

[/accordion_item]

[/accordion]

 

Família Boeing 777

A Boeing lançou o 777 na década de 90 no mercado, ao mesmo tempo em que a Airbus lançava uma aeronave de capacidade parecida, o A340. Diremos que ele foi o precursor de uma nova geração em que aeronaves bimotoras dominam as frotas, sua economia de combustível e confiabilidade é até hoje acima de seus concorrentes de época, como o MD11 e A340. Ele também foi o responsável pela queda nas vendas do 747.

Foi disponibilizado em 2 versões que tinham incrementos de fábrica para maior alcance, além da variante cargueira (-F).

É conhecido também por não ter causado nenhum acidente com fatalidade por falhas do aparelho, somente por erros externos ou ataque terrorista.

*A versão ER da -300 e -200LR tem melhor desempenho para decolagem.

[accordion]

[accordion_item title=”777-200 ER/LR | US$ 277,3 / 313,8 milhões” state=closed]

Foi a primeira versão do Boeing 777, recebeu outras 2 atualizações para melhorar a autonomia em voo. Tem capacidade para 317 passageiros em configuração padrão de 2 classes, podendo ser alterado de acordo com o cliente (para todas aeronaves). A versão ER entrega 14300 km de autonomia enquanto a mais cara LR voa por 17600 km.

Seu preço de mercado atualmente é de US$ 277,3 milhões na versão ER e US$ 313,8 milhões na LR, que tem maior alcance.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”777-300 | US$ 339,6 milhões” state=closed]

É a maior versão em capacidade de passageiros disponível na geração atual, com 396 assentos para uma configuração de duas classes. Assim como no -200, as atualizações que recebeu permitiu um alcance maior, que foi possível através da implementação do motor turbofan mais potente já fabricado. A LATAM opera essa aeronave em aeroportos que demandam maior oferta.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 339,6 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”777-F | US$ 318,7 milhões” state=closed]

É baseado na fuselagem e estrutura da -200LR, porém com adaptações para a operação contínua de carga. Leva o dobro da capacidade de carga de um 767F, com um range bem satisfatório para o mercado que atende.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 318,7 milhões.

[/accordion_item]

[/accordion]

Família Boeing 787

Para o 787, foi designado a função de suceder o 767, que na época já estava com mais de 20 anos no mercado. Para isso foi desenvolvida toda uma nova tecnologia na Boeing de comandos fly-by-wire, cockpit com telas de grande tamanho, fuselagem em materiais compostos e interior mais leve, que permitia a aeronave decolar com peso maior.

O 787 está disponível em 3 versões, sendo a maior delas o 787-10, a ser lançado em 2018. É uma das aeronaves mais bem sucedida atualmente, com 1202 encomendas e mais de 500 entregas até o momento. Sua versão mais vendida é a -9, e a primeira que chegou no mercado foi a -8.

 

[accordion]

[accordion_item title=”787-8 | US$ 224,6 milhões” state=closed]

Podemos dizer que essa variante foi a que deu mais susto na Boeing até o momento, ela foi a primeira a ser apresentada, apesar de não ser a mais vendida no momento. Realizou seu primeiro voo em 2009, com primeira entrega em 2011. Como é um projeto para substituir o 767 a capacidade de passageiros é bem parecida, tem 242 assentos em duas classes para essa versão que promete mais de 13 mil km de alcance. A LAN Chile, parte do grupo LATAM opera essa versão.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 224,6 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”787-9 | US$ 264,6 milhões” state=closed]

Apesar de não ter surgido ao mercado primeiro, é a versão que mais vendeu até o momento, substitui diretamente o 767-400ER e tem capacidade para 290 assentos em duas classes. Seu alcance é bem parecido com o 787-8. O grupo LATAM opera essa versão.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 264,6 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”787-10 | US$ 306,1 milhões” state=closed]

A Boeing espera construir essa versão até 2018, foi criada para substituir a lacuna deixada entre o 777X e o 787. Sua capacidade é para 330 passageiros em duas classes, quase igual a do A350-900XWB.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 306,1 milhões.

[/accordion_item]

[/accordion]

 

Família Boeing 777X

O 777X representa a nova geração de aeronaves da Boeing, dita como o maior widebody bimotor em capacidade de carga e passageiros. Para isso a Boeing irá fazer alterações no seu motor, asas e aviônicos. Porém vai manter o mesmo padrão de design utilizado no atual 777. As duas versões tem alcance entre 15 mil a 16 mil km de voo, isso sem tanques auxiliares.

Até o momento recebeu 306 encomendas de diversas companhias aéreas, um bom número para o tempo de projeto, que atualmente tem quase 3 anos no mercado.

 

[accordion]

[accordion_item title=”777-8X | US$ 371 milhões” state=closed]

Essa é a menor versão disponível para compra na nova geração do T7. Tem capacidade para 353 assentos quando dividido em três classes, por não ter mockup finalizado, a Boeing ainda não tem uma configuração padrão para duas classes, se limitando a informar um possível range de passageiros transportados.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 371 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”777-9X | US$ 400 milhões” state=closed]

Nessa variante a Boeing promete uma eficiência por passageiro transportado até 12% melhor do que os atuais concorrentes nessa faixa de assento. Na configuração padrão o -9X tem capacidade para 400 passageiros em três classes.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 400 milhões.

 

 

Família Boeing 747

 

Chamado também de Jumbo, o Boeing 747 está a várias décadas no mercado mundial, a família apresentada aqui é a quinta geração do jato de dois andares da Boeing. Apesar de ter dois andares o Boeing 747 não é o maior avião de passageiros do mundo, mas consegue transportar mais passageiros que o 777-300ER, por exemplo.

No últimos anos vem amargando baixas encomendas, com poucas aeronaves da versão -8. A maioria das companhias aéreas estão preferindo aposentar suas aeronaves 747, alegando o alto gasto de combustível do quadrimotor como motivo para essa movimentação.

 

[accordion]

[accordion_item title=”747-8i | US$ 378,5 milhões” state=closed]

O novo 747-8 para passageiros foi uma tentativa da Boeing de recuperar o mercado que o A380 dominou, porém o projeto final era limitado por uma aeronave antiga e que mesmo com o double deck inteiro não teria a mesma eficiência e capacidade do gigante da Airbus. Sua capacidade de 410 passageiros em três classes dava uma boa vantagem de mercado para o T7, que é bem mais econômico e transporta quase o mesmo.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 378,5 milhões.

[/accordion_item]

[accordion_item title=”747-8F | US$ 379,1 milhões” state=closed]

Essa é a versão cargueira do 747, tem bom sucesso no mercado graças a ampla capacidade de transporte, que é ajudado pela sua porta dianteira. Transporta em peso de carga quase o mesmo que 3 767-300F.

Seu preço de tabela em 2017 é de US$ 379,1 milhões.

[/accordion_item]

[/accordion]

 

Produção: Aeroflap | Augusto Hardke Fernandes

Fotos ©Boeing

COMPARTILHAR