Na foto: Ricardo Keiper.

Durante o IBAS 2017, evento focado na indústria aeroespacial internacional e na infraestrutura aeroportuária, a GE Aviation do Brasil participou do seminário “Flight Deck Matters”, que abordou desde a formação de mão de obra especializada até os procedimentos técnicos realizados por pilotos.

Além disso, houve uma ampla discussão sobre os entraves atuais da infraestrutura destinada ao setor e o desembaraço de processos regulatórios, administrativos e aduaneiros do segmento.

Durante o último painel do dia, com o tema “Tendências Gerais para a Aviação”, Ricardo Keiper, diretor de Supply Chain da GE Celma, detalhou uma inovação bastante interessante relativa à tecnologia dos motores atuais, que representam os largos passos dados pela indústria a partir do progresso da transformação digital. Quer saber por quê?

Eles são dotados de diversos sensores eletrônicos capazes de enviar informações em tempo real para a equipe de manutenção em solo da companhia aérea e, simultaneamente, para um centro da GE automatizado e capacitado para criar uma média de informações sobre eles. Chamamos isso de Digital Twin, onde, literalmente, criamos um “gêmeo digital” do motor, podendo prever possíveis falhas e gerando insights para o processo de manutenção, evitando possíveis incidentes durante o voo – e até mesmo acidentes mais graves.

Na ocasião, Keiper ainda valorizou todo o conhecimento adquirido pela empresa ao longo dos 65 anos de existência da GE Celma, responsável por atender diversas companhias aéreas não só do Brasil mas do mundo todo – o que representa mais de 95% de todos os motores que passam pela unidade.

Nós visitamos um desses centros de manutenção da GE Celma localizado no Aeroporto do Galeão. Ali, a GE Celma realiza o teste de motores CFM56 e CF6, provenientes de diversos países. O centro brasileiro atende até mesmo motores de aeronaves que operam nos Estados Unidos, Europa, Ásia, Oriente Médio e África!

A precisão da GE Celma no banco de provas do Rio de Janeiro é muito alta: a taxa de aprovação de motores no primeiro teste em banco de provas é de 93%, um número bastante elevado tendo em vista a complexidade de todo o processo de manutenção, feito este que coloca a GE Celma como uma das unidades mais bem-sucedidas na revisão de motores do mundo todo.

Para se ter uma ideia, o procedimento para o teste é realizado em uma sala insonorizada, onde o motor é instalado simulando regimes mais rigorosos do que aqueles encontrados em voo.

Então, os motores são levados à sala de testes via equipamentos de içamento e, em seguida, conectados a sensores que são gerenciados remotamente pela equipe do Banco de Provas, que verifica todo o sistema antes de iniciar o teste até o seu final (Fotos abaixo).

A sala onde os testes são monitorados possui computadores de alta performance que coletam todos os dados de funcionamento do motor, armazenam os parâmetros dos testes e, após os cálculos de performance, fornecem os dados usados pela equipe, que certifica a aprovação do motor. A sala de testes possui forte isolamento acústico devido ao grande barulho originado pelos motores, garantindo total conforto e segurança para a equipe de testes.

A manutenção de motores é um processo de extrema importância para uma aeronave – e a GE Aviation utiliza uma larga gama de soluções digitais para otimizá-lo, além de garantir uma precisão altíssima em seus procedimentos, prestando o melhor serviço de reparos em todo o mundo.

COMPARTILHAR