Em 2017 a Rolls-Royce começou a enfrentar um problema sério de durabilidade dos motores Trent 1000, que equipam os aviões da linha Boeing 787.

Os defeitos gerados já estão rendendo um prejuízo para a Rolls-Royce que quase encosta nos primeiro bilhão de dólares, enquanto isso as companhias estão atrás de aeronaves já aposentadas ou de wet-leasing para continuar realizando voos normalmente.

Nessa situação a Rolls-Royce declarou que não espera problemas semelhantes nos motores Trent XWB e Trent 7000, apesar de estar fazendo inspeções neste último, visto que tem muita tecnologia incorporada do Trent 1000.

O motor Trent XWB equipa o Airbus A350, e também faz parte da nova geração de motores para aviões widebody, enquanto o Trent 7000 equipa o A330neo, que entrará em serviço comercial neste ano.

Nenhuma evidência de problemas semelhantes foi encontrada nos motores do Airbus A350, o Trent XWB, que já está em serviço comercial há três anos. No caso do motor XWB, a Rolls-Royce disse que o projeto foi realizado de forma diferente, apesar de ter os mesmos conceitos de um motor com alto by-pass.

A empresa também aproveitou para dizer que as melhorias incorporadas no Trent 1000 seriam portadas para o Trent 7000, como uma espécie de atualização logo no início de vida do produto. Isso evita que o propulsor tenha problemas no futuro, e também melhora a performance do mesmo.

 

Via – FlightGlobal

This post is available in: pt-brPortuguês