Foto - China Daily/via REUTERS

Os engenheiros da estatal russa UAC já começaram a trabalhar no novo avião que está sendo projetado em parceria com a China, um jato de duplo corredor para concorrer com o Boeing 787.

Os primeiros testes em laboratório foram no túnel de vento do Instituto Aerohidrodinâmico Central de Moscou, onde os engenheiros aferiram os primeiros dados sobre o perfil aerodinâmico das asas e o nível de arrasto da fuselagem.

Para isso eles usaram um modelo em metal na escala 1:26, com representação básica da fuselagem, asas e motores. O avião em escala tem asas de 2,15 metros, dessa forma podemos aferir que o avião real terá pelo menos 56 metros de envergadura, em um modelo sem winglets, mas sim com um aprimoramento aerodinâmico semelhante ao encontrado no 787. Os engenheiros planejam trabalhar bastante na asa para reduzir o tamanho da mesma, retirando arrasto e peso adicional da aeronave.

O teste simulou velocidades de cruzeiro, indo de Mach 0.8 a 0.9, um ângulo de ataque de 10º foi colocado para testar o comportamento do fluxo aerodinâmico na asa. No final os engenheiros do instituto afirmaram que os testes atenderam aos requisitos de estabilidade e manuseio definidos anteriormente.

O projeto ficará totalmente a cargo dos russos, visto que o centro de design se localiza em Moscou, na sede da UAC. Os chineses vão organizar a parte de fabricação, marketing, vendas e pós-venda, além de gerenciar processos administrativos do programa. Uma boa divisão, visto que os russos não gostam muito de marketing.

No final as duas empresas se uniram na CRAIC (China-Russia Commercial Aircraft Corporation), quando a produção estiver sendo realizada em série o par de asas, a seção de cauda e as estruturas em materiais compostos serão fabricadas em Moscou, enquanto a Comac produzirá a fuselagem e realizará a montagem final dos componentes. Provavelmente a Rússia fabricará também um motor de nova geração, até falamos dele por aqui.

O primeiro voo será realizado em 2023, é possível que a construção final da aeronave inicie já em 2021, caso o projeto não sofra atrasos. Em 2025 a CRAIC entregará o primeiro avião de série para um cliente, que provavelmente será uma companhia aérea da China.

 

Parceria entre UAC e Comac

Foto – China Daily/via REUTERS

A parceira entre a Comac e a UAC é uma nova forma de juntar experiências para desenvolver uma aeronave comercial com duplo corredor, de grande tamanho com somente um andar. O vice-presidente da Comac já afirmou que o desenvolvimento total desse novo avião poderia demorar entorno de 10 anos.

Durante a cerimônia de lançamento os diretores da CRAIC confirmaram o alcance médio de 12000 km do novo avião, bem como a disponibilidade de 280 assentos para 3 classes de passageiros, números bem semelhantes ao do Boeing 787-10.  A fabricação das peças será realizada em ambos os países, mas a montagem final será sempre em Xangai. A primeira entrega poderá ser realizada entre 2025 e 2028. 

Os fornecedores serão incentivados para considerar a fabricação dos componentes na China, quer através de “investimento local ou joint-ventures”.

A CRAIC buscará ocupar 10% do mercado de aeronaves com duplo corredor, na faixa do Boeing 787 e do Airbus A350, isso representa mais de 200 aeronaves encomendadas, visto que as encomendas do Boeing 787 e do Airbus A350 juntas somam mais de 2000 aeronaves.

O investimento total das duas empresas no projeto será na ordem de 13 a 20 bilhões de dólares.

 

Variantes

O novo avião receberá um nome tipicamente da Comac, ele se chamará CR 929, e terá três variantes no total com alteração de tamanho entre elas, transportando de 250 a mais de 300 passageiros. Esse é mais um claro indício que o avião vem para substituir o Boeing 787 pelo menos nas companhias aéreas da China.

  • O CR929-500: É a menor versão, conta com capacidade para 250 passageiros em três classes, na configuração típica da Comac. A autonomia máxima será de 14000 km em informações preliminares.
  • O CR929-600: É uma versão intermediária, com capacidade para transportar até 280 passageiros em três classes. A autonomia máxima será de 12000 km.
  • O CR929-700: É a versão de maior capacidade, leva até 320 passageiros em três classe. Com o alcance de 10000 km, pouco se comparado com o 787-10.
COMPARTILHAR