Todos conhecem a Ryanair por suas passagens bem baratas, chega ao cúmulo de custarem somente 9,90 euros. Porém o CEO da companhia aérea, Michael O’Leary, está com uma proposta ainda mais agressiva, nos próximos 5 anos a Ryanair trabalhará para que seus voos, ou alguns de seus voos, sejam gratuitos a partir de 2021.

Isso só será possível se a companhia de baixo custo conseguir negociar bastante com aeroportos da Europa, e também com outros distribuidores, tais como a Boeing, que fabrica as suas aeronaves, e os fornecedores de combustível. O pivô principal desse problema de O’Leary é os aeroportos, onde a Ryanair espera gerar receita através de venda dos produtos e serviços para passageiros.

“Tenho esta visão de que, nos próximos cinco ou dez anos, as tarifas aéreas na Ryanair serão gratuitas, no caso de os voos estarem cheios, e nós vamos fazer dinheiro com a partilha da receita dos aeroportos, de todas as pessoas que vão passar pelos aeroportos, tendo uma participação nas vendas das lojas de varejo”, disse Michael O’Leary.

Enquanto a tarifa a zero euros não está disponível, o passageiro pode contar com as constantes promoções da companhia administrada por O’Leary, que fornece milhares de passagens com custo de somente 9,90 euros. Apesar disso a política da Ryanair é bem clara, o passageiro terá que pagar por um check-in presencial (no aeroporto), despacho de bagagem e até marcação de assento antes do voo.

O’Leary também espera economizar ainda mais com a introdução de aeronaves da nova geração na frota da Ryanair, a partir de 2018 a companhia Low Fare receberá uma enorme encomenda do Boeing 737 MAX 200, uma nova versão do 737 MAX 8 com capacidade para até 199 passageiros, cerca de 10 assentos a mais por avião, além disso o custo por passageiro nessa aeronave é 20% menor, quando comparada com a Next Generation, utilizada pela Ryanair atualmente. 

 

Fonte – OGlobo

COMPARTILHAR