O Sindicato de Pilotos da Irlanda manteve a greve de tripulantes da Ryanair que acontecerá nesta próxima quinta-feira, mesmo após reuniões com a diretoria da empresa para evitar o cancelamento de voos.

Por esse movimento ter sede na Irlanda, apenas os voos entre a Irlanda e o Reino Unido serão afetados. A companhia disse que se antecipou aos contratempos e já cancelou 30 voos nesta próxima quinta-feira, de 290 voos que vão partir da Irlanda. Cerca de 5700 passageiros serão afetados.

Clientes que estão viajando em um voo da Ryanair partindo da Irlanda nesta próxima quinta-feira (12/07) e que ainda não receberam um e-mail ou notificação por texto, podem seguir para o aeroporto e fazer o check-in normalmente.

Provavelmente outra greve na Ryanair será realizada ainda neste mês, dessa vez com os tripulantes da Itália protagonizando a situação. Uma associação de tripulação de cabine  da Ryanair decidiu entrar em greve por 24 horas no dia 25 de julho, enquanto equipes sediadas na Espanha, Portugal e Bélgica serão responsáveis por uma greve com duração de 48 horas nos dias 25 e 26 de julho.

As reivindicações gerais de todos os pilotos rodam nas condições salariais, nas metas de venda a bordo (irreais para alguns), e no direito das licenças para os pilotos, basicamente nas “folgas” concedidas pela companhia aérea.

Pilotos de alguns países são ainda mais enfáticos quanto às folgas, já que a Ryanair impõe a lei da Irlanda, e ignora a lei de alguns países em suas bases de pilotos. Dessa forma a companhia só concede, na Espanha, licenças de 15 dias consecutivos para os pilotos, enquanto o país determina que esse tipo de tripulante deve ficar pelo menos 25 dias consecutivos de férias.

This post is available in: pt-brPortuguês