A partir do mês de novembro, os aeroportos de Belém (PA), Maceió (AL), Goiânia (GO), Vitória (ES) e Florianópolis (SC) passam a integrar a Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, que já avalia os 15 principais aeroportos do Brasil, responsáveis por 80% da movimentação dos usuários do transporte aéreo. Com a inclusão dos cinco terminais, a cobertura da movimentação será ampliada para 87%.

Trimestralmente, a Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil divulga o resultado da avaliação dos 15 aeroportos em relação à satisfação dos passageiros com base em 37 quesitos de infraestrutura, atendimento, serviços, itens de gestão, além da satisfação geral, com notas entre 1 e 5, sendo 1 “muito ruim” e 5 “muito bom”.

“Hoje, o nosso relatório mostra que temos 14 dos 15 aeroportos sendo bem avaliados pelos passageiros. Agora, queremos ampliar esse escopo e ver como anda os demais terminais brasileiros em relação à gestão e a entrega dos serviços aos usuários do transporte aéreo. Precisamos identificar os problemas e atuar nas melhorias”, pontuou o secretário Nacional de Aviação Civil, Dario Lopes.

 

Resultado no 3º trimestre

No terceiro trimestre de 2017, 92% dos passageiros avaliou os aeroportos como “bons” (4) ou “muito bons” (5). O resultado é o mesmo obtido no trimestre anterior, mas 3,3% maior do que aquele obtido no mesmo período de 2016. Ao todo, entre julho e setembro, foram entrevistadas 13.649 pessoas, sendo 8.743 passageiros de voos domésticos e 4.906 de voos internacionais. Já a média do índice de satisfação geral foi de 4,38.

No ranking geral, o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), foi novamente o mais bem avaliado pelos passageiros (4,78); tendo também o segundo maior crescimento (8,9%) em relação ao mesmo período de 2016. Em seguida, ficou o terminal Afonso Pena, em Curitiba (PR), com 4,74, e depois Natal (4,53).

O único terminal que ficou abaixo da meta estipulada pela Conaero (Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias), que é nota 4, foi o Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, em Salvador (BA), com 3,95. Apesar da nota, o terminal baiano apresentou melhoria de 2,1% na comparação com o mesmo período de 2016.

A maior evolução registrada no trimestre foi novamente do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Cuiabá (MT), com 18,9%, em relação ao mesmo período do ano anterior. Já os terminais de Recife (PE) e Porto Alegre (RS) registraram queda de 1,8% e 0,2%, respectivamente.

No caso das companhias aéreas, a Latam teve o melhor resultado do trimestre no quesito “tempo médio de restituição da primeira bagagem”, com 9min e 33seg. A GOL, por sua vez, ficou com o melhor tempo na “restituição da última bagagem”, 8min e 03seg. A Azul teve os melhores indicadores em “tempo médio de espera na fila para embarque doméstico” (10min 01seg) e “espera na fila de check-in balcão” (7min e 28 seg).

 

Via – Ministério dos Transportes

COMPARTILHAR