O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região enviou carta ao presidente Michel Temer, na manhã desta última sexta-feira (22/12), cobrando um posicionamento oficial e contrário a qualquer tipo de transação que represente a transferência de controle acionário da Embraer para a norte-americana Boeing.

De acordo com o Sindicato “este foi o primeiro passo  para dar início a uma campanha nacional contra a venda da Embraer e por sua reestatização”. Além da carta ao presidente Temer, o Sindicato disse que enviará delegações a Brasília com essas exigências ao governo.



Para o Sindicato dos Metalúrgicos a venda da Embraer para a Boeing representa um risco aos trabalhadores da empresa, visto que os empregos poderiam trocar de país e a Boeing poderia aproveitar o baixo valor de mercado da Embraer para entrar no mercado de aviões regionais com alta tecnologia e um bom produto.

O presidente Michel Temer disse na quinta-feira que não venderia o controle da Embraer para a Boeing, e que ia usar o poder de veto do governo, chamado de “golden share”, com finalidade de proibir um controle estrangeiro da empresa. No entanto o presidente é a favor quando o assunto é investimento estrangeiro e colaboração entre as empresas.

Tanto a Embraer como a Boeing confirmaram que há negociações de “colaboração” entre as empresas, mas não citaram nada sobre uma compra total ou parcial da Embraer.

O Sindicato pediu uma reunião com a Embraer para maiores esclarecimentos, visto que os funcionários ficaram surpresos com a notícia, como a empresa agora entrou em recesso de final de ano, os funcionários planejam fazer uma manifestação contra a venda só em janeiro, com possibilidade de haver greves.

No total a Embraer emprega mais de 16 mil pessoas só no Brasil, sem contar os outros empregos gerados por empresas terceirizadas e subsidiárias que fornecem peças e serviços para a Embraer.