Foto - Airbus

O mercado de aviões do modelo A380 usados poderia ser uma boa opção para companhia que desejam operar com o gigante mas não tem disposição suficiente para pagar o custo de uma unidade nova, que hoje beira os US$ 435 milhões.

E estamos falando especificamente das 5 primeiras unidades que a Singapore Airlines recebeu do A380, fabricados entre 2007 e 2008. A companhia optou por não renovar o contrato de leasing do seu primeiro Airbus A380, de matrícula 9V-SKA, após a expiração em outubro de 2017.

Desse modo o 9V-SKA foi para o deserto, e a empresa que detém a propriedade da aeronave agora está procurando um novo dono, e caso não ache nos próximos anos o avião pode virar até mesmo sucata, e servir para o fornecimento de peças para outros aviões.

A Singapore Airlines opera uma frota com 19 aeronaves A380, sendo cinco delas (9V-SKA/ SKB / -SKC / -SKD / -SKE) com o mesmo tipo de contrato de leasing, e já declarou que não planeja renovar o contrato desses 5 aviões citados, em compensação a companhia encomendou cinco novos A380 para sua frota.

A Dr. Peters já pegou a aeronave no Aeroporto de Changi e levou ela para o aeroporto de Tarbes-Lourdes-Pyrénées, no sopé dos Pireneus franceses, onde as condições de estocagem são melhores, evitando uma rápida deterioração da aeronave. Os motores já foram removidos e mandados para a Rolls-Royce, que vai reformá-los para colocar em outro A380. A empresa Tarmac Aerosave será responsável pela estocagem da aeronave.

Mais três aeronaves A380 da Singapore Air deverão ser devolvidas à Dr. Peters em janeiro, abril e junho do ano que vem e uma quarta será enviada à Doric, outra empresa de leasing, em março.

A Dr. Peters costumava receber US$ 1,7 milhão por mês pelo aluguel do A380, os motores da Rolls-Royce foram comprados cada um por US$ 480.000, mas a estocagem custa US$ 94.000 por mês, um valor bem elevado.

O avião está muito novo, isso devido ao tipo de contrato, onde a Singapore precisa devolver o avião em plena capacidade de voo, o que significa que os interiores, motores e outros elementos devem ser novos, além disso a aeronave deve ser pintada de branco no ato da devolução. É isso ou pagar uma multa de US$ 25 milhões por avião.

Mas a Dr. Peters não quer depenar a aeronave, apesar que isso pode render US$ 100 milhões. A empresa está em negociação com outras companhias, incluindo as americanas e uma asiática que planeja transportar mais de 700 passageiros por voo com esse A380. No caso de outra companhia aérea optar por esse A380, que hoje está sendo arrendado com preço base de US$ 250 milhões, os motores Rolls-Royce serão recolocados na aeronave, novos motores, nesse caso.

Curiosamente outra companhia aérea da Ásia-Pacífico, a Malaysia Airlines, não conseguiu encontrar compradores para as seis unidades que estavam na frota, uma subsidiária foi criada para operar exclusivamente voos por encomenda, conhecidos como “charter”, com o Airbus A380.

 

Via – Bloomberg

COMPARTILHAR