A Força Aérea dos Estados Unidos resolveu mudar de cliente nos últimos dias. A SpaceX foi contratada para levar o Air Force Space Command (AFSPC)-52 no novíssimo foguete Falcon Heavy, que até o momento só decolou uma vez, porém com sucesso.

O grande motivo para esse contrato ser retirado das mãos da ULA (United Launch Alliance) foi o valor cobrado pela SpaceX. De acordo com a USAF a empresa do Falcon Heavy cobrou apenas US$ 130 milhões pelo lançamento, valor alto, mas a ULA não cobraria menos de US$ 350 milhões para lançar um foguete Delta 4.

Sua performance para levar até 53 toneladas em órbita baixa (LEO) também classifica o foguete da SpaceX como o mais poderoso disponível, até a chegada do SLS. De acordo com Elon Musk é possível levar cargas para além de Plutão, bem como módulos inteiros de uma estação espacial.

Os boosters e o core central retornam à Terra após o lançamento, diminuindo o custo do próximo lançamento.

O contrato foi fechado recentemente, mas o lançamento só será realizado em 2020, dando prazo para a SpaceX obter as certificações adicionais do Falcon Heavy, e inclusive implementar as atualizações com base do Falcon 9 Block 5, que incorpora melhorias na potência do motor e resistência ao retorno à Terra.

This post is available in: pt-brPortuguês