A SpaceX lançou na última quinta-feira (07/09) do Kennedy Space Center (Flórida/EUA) o foguete Falcon 9 para transportar o mini ônibus espacial quase secreto do Força Aérea Americana até a órbita baixa (LEO). O lançamento foi o primeiro da SpaceX para esse tipo de veículo reutilizável, e foi bem sucedido no geral.

O pouso já virou um momento tradicional da SpaceX, ele novamente foi realizado com sucesso, agora usando um pad terrestre para receber o primeiro estágio do Falcon 9, o grande destaque dessa manobra feita em terra firme é a diminuição no número de variáveis durante o pouso, diminuindo a dificuldade da manobra.



Para lançar esse veículo com essas dimensões e peso, a SpaceX alterou algumas partes do Falcon 9 para conseguir colocar o X-39B em uma cápsula, os motores do foguete já foram atualizados recentemente com a versão Block 5, a altura do Falcon 9 também aumentou. Em janeiro o foguete atualizado da SpaceX foi certificado pela Força Aérea Americana (responsável pelo X-37B) para realizar lançamentos de segurança nacional.

A decisão da USAF de levar o X-37B através dos foguetes da SpaceX se baseia no preço cobrado, enquanto a lançadora oficial da Boeing, a ULA, cobra até US$ 183 milhões por lançamento, a empresa de Elon Musk faz o mesmo pelo preço camarada de 60 milhões de dólares.

Para a SpaceX esse lançamento é positivo pois reforça ainda mais a posição da empresa no uso de veículos espaciais reutilizáveis. Atualmente a companhia já faz a reutilização de cápsulas Dragon, do primeiro estágio do Falcon 9 e até mesmo da carenagem usada no lançamento.

 

A missão

Embora essa missão do X-37B tenha sido programada para durar 270 dias, a Força Aérea disse que isso pode mudar de acordo com o progresso dos testes.

 

O X-37B

No total X-37B já passou cerca de 2086 dias orbitando a Terra sem parar desde sua última missão, um valor próximo de dois anos. O veículo tem cerca de 8,8 metros de comprimento e 2,9 m de altura, com uma envergadura de apenas 4,6 m. O desenho é bem semelhante a da famosa Space Shuttle, porém as dimensões são menores, visto que se trata apenas de um veículo para cargas de pequeno porte.

O compartimento do X-37B para transporte de cargas tem apenas 2,1 metros de comprimento por 1,2 metros de largura, com uma profundidade de 1,2 metros. A espaçonave é lançada do mesmo modo que um Space Shuttle, colocada na vertical junto com um foguete, ela pesa no lançamento 4990 quilogramas.

O pouso é realizado em uma pista comum, de pousos e decolagens, com uma única tentativa, a pista utilizada é a mesma do conhecido Space Shuttle, a do Centro Espacial Kennedy, na Flórida. O avião espacial é projetado para operar em altitudes que variam de 177 a 805 km, sempre em órbita baixa. 

Space Shuttle pousando no Kennedy Space Center. Foto – NASA

A Força Aérea Americana planeja usar esse novo ônibus espacial que não depende de astronautas para lançamentos de algumas cargas espaciais, eles afirmam que o X-37B não é capaz de carregar artefatos nucleares. O X-37B também testa tecnologias reutilizáveis para o “futuro da América no espaço”, de acordo com a USAF.

Esse já é o quarto voo do X-37B, que completou 2086 dias no espaço. Dois veículos X-37B diferentes voaram um total de quatro missões, conhecidas como OTV-1, OTV-2, OTV-3 e OTV-4 (abreviação de Orbital Test Vehicle). O veículo OTV-1 explodiu em abril de 2010, porém ficou em órbita por 224 dias.

O veículo OTV-2 foi no espaço duas vezes, em março de 2011, para uma missão de 468 dias, e agora novamente com a quarta missão, que começou no dia 20 de maio de 2015 e terminou ontem (07/05), com 718 dias no espaço. A missão OTV-3 usou o mesmo veículo que voou a missão OTV-1, começou em dezembro de 2012 e terminou 674 dias depois.

Todas essas missões da espaçonave X-37B foram lançadas a partir da Base da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida. Enquanto porém os três primeiros pousaram na Base da Força Aérea Vandenberg, na Califórnia.

O próprio X-37B é derivado de um projeto da NASA que foi lançado em 1999, em 2004 o projeto foi transferido para a DARPA, famosa por projetos como o HAARP. Desde então o projeto da espaçonave X-37B está sendo tratado com sigilo total, e dirigido pelo Escritório de Capacidades Rápidas da Força Aérea, com sede no Colorado, a espaçonave é construída pela Boeing.