Nos últimos anos temos visto uma reviravolta no conceito de entretenimento a bordo de aeronaves, a evolução na tecnologia de tablets e smartphones de 2012 até o momento tem disponibilizado outras opções de distração ao passageiro. Essa também pode ser sido uma causa das companhias aéreas terem lutado para certificar o uso de dispositivos eletrônicos em voo, além de disponibilizar complementos para ele, a GOL, por exemplo, preferiu investir em um sistema de internet sem fio do que disponibilizar entretenimento individual.

Mas a empresa Thales quer voltar com esse conceito utilizando um assento de classe econômica uma enorme tela para o sistema de entretenimento, que pode ser conferida na foto acima e é chamado de Sky Digital. Ela seria bem mais vertical do que as atuais e teria 21 polegadas de espaço para rodar qualquer aplicativo com capacidade touch, ou dois simultaneamente se for desejado pelo passageiro.

Claro, filmes e programas de TV são horizontais em 16:9 como qualquer outro dispositivo, porém a meta da francesa Thales não é somente essa função, mas simplesmente melhorar os aspectos de leitura para passageiros, como livros, revista de bordo ou até mesmo jogar games que utilizem todo esse espaço vertical.

thales-digital-sky-1

De fato é impressionante o contexto todo do assento, parece algo extremamente curioso quando visto pela primeira vez por um passageiro, que utiliza a premissa do tamanho “um elefante chama mais atenção que um rato”. Porém como descrito acima, o Sky Digital projetado pela Talles não passa de um sistema comum utilizando uma tela grande com capacidade touch. Não foi abordado sobre nenhuma capacidade extra como capacidade de acesso à internet ou sistema de televisão ao vivo, semelhante ao oferecido pela Azul aqui no Brasil.

Até o momento a Thales não recebeu nenhuma encomenda para o sistema proveniente de uma companhia aérea, apesar do sucesso que obteve apresentando o conceito no evento Expo Aircraft Interiors, que ocorreu em Hamburgo na Alemanha.

 

Nota do editor – Novos avanços em antenas do tipo banda Ka e Ku, como apresentado em uma notícia aqui na Aeroflap, podem proporcionar internet de alta velocidade para os passageiros mesmo em uma altitude de 40 mil pés. Isso é um fator vantajoso, principalmente para passageiros que estão a negócios e preferem não desligar de sua empresa em nenhum momento. Portanto companhias aéreas, uma mesinha que não seja muito baixa, uma tomada 110v ao lado e conexão de internet (mesmo que paga pelo passageiro).

Notavelmente a Thales não é burra, ela oferece diversos conceitos de entretenimento a bordo, que inclui também sistemas de internet via satélite. Mas sua área de atuação se estende para diversos ramos da aviação, como a construção de simuladores, sistemas elétricos, aviônicos e sistemas de navegação de última geração e sistemas para gerenciamento de tráfego aéreo. Não é uma empresa que tomaria um prejuízo fácil por falta de vendas em um conceito desse.

*Ela é uma das responsáveis pelo satélite brasileiro que será enviado esse ano.

COMPARTILHAR