Foto - Infraero

O Aeroporto de Salvador, operado pela VINCI Airports desde 2 de janeiro de 2018, alcançou um crescimento de 1,3% no segundo trimestre apesar dos protestos que paralisaram o país em maio.

A crise criou uma falta de fornecimento de combustível de aviação em todos os principais aeroportos do Brasil e levou à redução na demanda e taxas de ocupação.

O aeroporto de Salvador foi capaz de manter o fornecimento de combustível durante a crise e o foi usado por algumas companhias aéreas internacionais como um ponto de abastecimento antes de deixarem o país.

Acima de tudo, o aeroporto de Salvador conseguiu se manter em alta, com taxas de ocupação acima de 80% no segundo trimestre.

No segundo trimestre de 2018, o tráfego nos 36 equipamentos operados pela Vinci Airports esteve 7,4% acima em relação ao segundo semestre de 2017, com 42,9 milhões de passageiros atendidos nos aeroportos da rede naquele período.

This post is available in: pt-brPortuguês